i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Previdência

Cronologia do caos: sinais de colapso no INSS começaram a aparecer em 2014

  • 03/02/2020 12:07
Cronologia do caos: sinais de colapso no INSS começaram a aparecer em 2014
| Foto: Jonathan Campos/Arquivo/Gazeta do Povo

Os primeiros sinais de colapso no INSS apareceram há seis anos. Confira, na linha do tempo a seguir, acontecimentos que culminaram com a atual fila de 1,3 milhão de pessoas que aguardam há mais de 45 dias pela concessão de benefícios:

2014: TCU identifica riscos de falta de servidores

Em 2013, o Tribunal de Contas da União (TCU) iniciou uma auditoria operacional (nº 016.601) no INSS para verificar o risco de insuficiência de pessoal na análise e concessão de benefícios previdenciários. Em sessão em julho de 2014, o acórdão mostrou que 46% da força de trabalho chegaria ao fim de 2017 em condições de se aposentar. Desse modo, o TCU recomendou que fosse elaborado plano para “mitigar danos e permitir que o INSS mantenha suas atividades críticas em um nível aceitável” e que fosse elaborado “plano de reposição dos servidores em condições de aposentadoria”.

Entretanto, pouco foi feito. O último concurso para ingresso no órgão foi em 2015. O número de servidores no INSS é de 76,3 mil, segundo o mais recente Boletim Estatístico de Pessoal do governo federal, de novembro. O número representa 15% menos do que havia em 1999. “De 2017 para cá, grande número de servidores se aposentou, sem reposição de pessoal. E ao mesmo tempo a população brasileira foi envelhecendo e buscando seus direitos, superlotando o atendimento”, diz Moacir Lopes, diretor da secretaria de Administração da Federação Nacional dos Trabalhadores na Previdência e afins (Fenasps).

2015 em diante: Demora na análise de benefícios

Poucos anos atrás, o atendimento do INSS estava bem diferente da situação atual. De 2008 a 2012, o tempo médio para concessão de benefícios girava em torno de 25 dias. De 2013 a 2015, ficou em torno de 30 dias, conforme registrado nos boletins estatísticos do INSS de cada período. De forma geral, o órgão conseguia cumprir com o prazo de 45 dias determinado pela Lei Ordinária nº 11.665/2008.

Entretanto, a situação passou a mudar no segundo semestre de 2015. Na época, uma grande greve, que durou quase 80 dias, afetou a prestação dos serviços. A reivindicação dos servidores era por reajuste salarial, concurso para contratações e melhores condições de trabalho. Em dezembro de 2015, o prazo médio para concessão de benefícios saltou para 61 dias. Recentemente, um pico foi registrado em julho de 2019, com demora de 89 dias, em média; em novembro, a média foi de 71 dias. Até o fechamento desta reportagem não havia dados disponíveis de dezembro.

A partir de 2016: Investimentos irregulares

O orçamento executado pelo INSS vem caindo ano a ano, em consequência principalmente da redução de pessoal no órgão. Em valores atualizados pela inflação (IPCA), os valores pagos pelo órgão vêm caindo gradativamente: saíram de R$ 16,4 bilhões em 2015 para R$ 14 bilhões em 2019. Os investimentos, tão necessários em novas tecnologias, foram irregulares no período: caíram de R$ 54,3 milhões para 15,4 milhões em 2016, subindo novamente em 2017, e a partir daí decaindo até fechar em 2019 com R$ 33,2 milhões.

2017: INSS fecha agências

No fim de 2017, com a implantação dos sistemas INSS Digital e Meu INSS, o órgão passou a investir no atendimento virtual e reduziu o atendimento presencial nas agências pelo país. A mudança foi implantada de forma gradual, de modo que no fim de 2019 o atendimento presencial ficou restrito a poucas agências.

As unidades da Defensoria Pública da União (DPU) passaram a ser bastante procuradas por pessoas questionando a dificuldade em conseguir atendimento e a demora na concessão do benefício. Em março de 2018, diante do número elevado de reclamações, a DPU ingressou com ação civil pública na Justiça Federal do Distrito Federal, requerendo atendimento presencial ao público e fixação de prazo máximo do tempo entre o agendamento prévio e o efetivo atendimento.

2018: Impactos do pente-fino

Em 2016, o então presidente Michel Temer propôs uma revisão em benefícios de caráter temporário do INSS, como auxílio-doença, atendendo à determinação legal. Em 2017, foi proposta nova medida provisória (nº 767), que culminou na lei nº 13.457/17. Foram realizados diversos mutirões para reavaliação desse beneficio e também o de aposentadoria por invalidez das pessoas com menos de 60 anos e que não passaram por perícia nos dois anos anteriores. Foi instituído bônus de R$ 60 por perícia extraordinária realizada.

Segundo informou o Ministério do Desenvolvimento Social ao Conselho da Justiça Federal (Nota Técnica nº 18/2018), de agosto de 2016 até 30 de junho de 2018, foram realizadas 791,4 mil perícias no país, e cancelados 450,2 mil auxílios-doença ou aposentadorias por invalidez. Isso tudo absorveu tempo e mão de obra do INSS, que não atendeu a contento novas demandas de benefícios.

Março de 2019: Determinações judiciais ignoradas pelo INSS

A ação civil pública proposta pela DPU contra o INSS em março de 2018 com pedido de liminar só foi sentenciada um ano depois. No intervalo, o processo foi suspenso por 90 dias para que as partes pudessem chegar a um acordo sobre os pedidos feitos, como atendimento presencial nas agências. Porém, a Defensoria relatou que “não se pode aferir nenhum propósito do INSS em protagonizar qualquer proposta de conciliação, nem mesmo houve agendamento de audiências fora dos autos para a tentativa de algum denominador”.

Diante disso, o juiz substituto da 22.ª Vara Cível do Distrito Federal, Ed Lyra Leal, determinou a realização de atendimento presencial ao público nas agências, com designação de ao menos um servidor, no prazo de 60 dias. O INSS não chegou a recorrer da decisão, mas também não a cumpriu. Em novembro de 2019, a Justiça requereu comprovação do cumprimento da liminar, sob pena de incidência de multa diária. Em 16 de janeiro de 2020, a DPU se manifestou nos autos, pedindo mais uma vez para o INSS demonstrar o cumprimento da decisão judicial.

2019: Reforma da Previdência entra em vigor

A movimentação recente para modificar o sistema previdenciário brasileiro começou em novembro de 2016, quando Michel Temer enviou uma proposta ao Congresso (PEC nº 287/16). Ela não avançou pela falta de governabilidade após a divulgação de áudios do então presidente com Joesley Batista e depois pela intervenção federal no Rio de Janeiro.

Quando assumiu, Jair Bolsonaro e sua equipe deram prioridade à reforma da Previdência, que por fim foi promulgada em 12 de novembro. Os sistemas do INSS, porém, não foram preparados para conceder benefícios sob as novas regras, e de lá para cá nenhuma aposentadoria sob as novas regras foi liberada. “São regras muito mais complexas, há regras de transição, aumento de idade, mudança na aposentadoria de professores e outras categorias. O INSS não conseguiu alterar sistema ou treinar servidores para isso”, explica Moacir Lopes, diretor da secretaria de Administração da Federação Nacional dos Trabalhadores na Previdência e afins (Fenasps).

11 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 11 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • E

    Emerson

    ± 2 horas

    Só vão começar a se preocupar quando todo este caos previdenciário sair das quatro paredes das misérias humanas e atingir em cheio os benefícios da turminha do poder ou aqueles felizardos do martelinho esturricado de ouro e da farda esverdeada.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • M

      Míriam Malaguti

      ± 5 horas

      A falta de planejamento e fiscalização salta aos olhos.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • C

        CSG

        ± 15 horas

        Neste caso, a culpa é do PT. Pronto , agora não precisa fazer mais nada. Pobre de quem vai se aposentar nos próximos meses, será engolido pela incompetência deste governo

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • J

          Jorge Dias

          ± 15 horas

          A verdade é que a minha geração não vai usar o INSS, para nós soh sobrou a conta, da péssima gestão da geração que está se aposentando. Eles, os nossos pais, deixarão uma conta por gerações, para que eles aproveitem hoje.

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          1 Respostas
          • J

            Jorge

            ± 4 horas

            Prezado Jorge Dias, nossos pais trabalharam pelo direito de se aposentarem. A idéia de que somos nós que pagamos pelas aposentadorias de nossos genitores foi criada para convencer o povo de que o INSS era autoexplosivo e falido. A falta de celeridade dos gestores dos extintos Ministérios é que causa esse tipo de problema. Tanto foi a incapacidade de gerir a máquina pública, que hoje nem conseguimos apontar de quem é a culpa, será que foi daquele senhor que hoje anda arqueado com seus oitenta e tantos anos ganhando só um salário?

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

        • D

          Decio mango

          ± 16 horas

          Vamos falar a verdade....só que eu conheço mais de quarto pessoas se aposentara do INSS sem ter tempo de contribuição...o velho bom xunxo...gente com quarenta quarenta e cinco anos de idade... funcionários do INSS que simplesmente usaram do cargo para facilitar as coisas...isso e Brasil..e ainda querem contratar mais picaretas

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • C

            Celito Medeiros

            ± 19 horas

            Com tanta corrupção que lesou o INSS, de Georgina Freitas há centenas de casos, das digitais de silicone e apresentações falsas de procedimentos em hospitais, das maiores verbas que somem e não vemos os resultados, temos os que tem a mísera opinião de acusar os Aposentados... Triste isto. Mas não vai ficar nisto, não há verdade que não seja descoberta e aí sim, saberemos quem são os ditos cujos.

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            • F

              Frank de Luca

              ± 20 horas

              "Vamos falar a verdade!!! O problema da Previdência si encontra nas vísceras da esquerda e nossos políticos . Nunca investiram na preparação da burocracia digitalizado por entenderem que em eliminar empregos seria diminuir o tamanho do governo. A eliminação da burocracia e uma ação fundamental para diminuir o tamanho e custos do governo em qualquer nível. "

              Denunciar abuso

              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

              Qual é o problema nesse comentário?

              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

              Confira os Termos de Uso

              3 Respostas
              • T

                Terrivelmente

                ± 18 horas

                Faltou só você dizer que a culpa era do trabalhador. Situe-se. A esquerda não governou sozinha. Chegamos ao cúmulo de ter vergonha de falar em se aposentar, como se isto fosse algo horrível ou reprovável. E quem acha que vai continuar a voar a 10 mil metros de altura até os 65 anos, é bom reavaliar o pensamento. Aos 50 o mercado rechaça, coloca pra fora. Se for profissional liberal, talvez sobreviva e com cautela. Mas para a grande massa, 50 anos o mercado recusa. Aí vai ter que virar empresário. hahahahaha

                Denunciar abuso

                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                Qual é o problema nesse comentário?

                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                Confira os Termos de Uso

              • J

                julio marcos Correia

                ± 19 horas

                *terão

                Denunciar abuso

                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                Qual é o problema nesse comentário?

                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                Confira os Termos de Uso

              • J

                julio marcos Correia

                ± 19 horas

                É isso aí, vamos digitalizar TODO O SISTEMA, assim os idosos não tersoy acesso ao INSS. Problema resolvido!!! Kkkkkkkkkkk kkkkkkkkkkk kkkkkkkkkkk

                Denunciar abuso

                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                Qual é o problema nesse comentário?

                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                Confira os Termos de Uso

            Fim dos comentários.