i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Previdência

Militares da reserva fazem três dias de protestos contra reforma de Bolsonaro

  • PorGazeta do Povo
  • Brasília
  • 22/10/2020 17:27
  • Atualizado em 09/11/2020 às 11:20
Militares da reserva fazem protestos em Brasília contra Bolsonaro
Militares da reserva dizem ter sido prejudicados pela reforma da Previdência da categoria proposta por Bolsonaro e aprovada pelo Congresso.| Foto: Reprodução/Youtube

Militares da reserva e pensionistas das Forças Armadas realizaram três dias de manifestações em Brasília, nesta semana, contra o presidente Jair Bolsonaro e o que chamam de descumprimento do acordo entre governo federal e Senado que permitiu, no ano passado, a aprovação da reforma da Previdência dos militares. O texto aprovado determinou a reestruturação das carreiras. As manifestações ocorreram entre terça-feira (20) e quinta-feira (22) em frente ao Ministério da Defesa e na Praça dos Três Poderes.

Quando a reforma foi aprovada, a toque de caixa no Senado, ficou acertado que em janeiro deste ano seria criada uma comissão para corrigir possíveis distorções do texto, mas isso até agora não aconteceu. O acordo foi intermediado pelo senador Izalci Lucas (PSDB-DF), vice-líder do governo. A tramitação do projeto na Câmara foi marcada por descontentamento e manifestações de associações de praças das Forças Armadas.

Entre as principais reclamações dos militares da reserva está a cobrança de contribuição dos pensionistas. As associações representativas também acusam a lei, sancionada em dezembro por Bolsonaro, de beneficiar generais e outros oficiais com gratificações mais altas, em detrimento dos praças — soldados, cabos, sargentos e suboficiais.

As entidades que organizam os protestos também afirmam que os reajustes do Adicional de Habilitação, também previstos na lei, privilegiam os generais e oficiais. Incorporado ao soldo, o adicional beneficia os militares com mais cursos na carreira. O problema, para os manifestantes, é que somente a partir de 2019, os praças passaram a ter acesso aos cursos que pagam as maiores gratificações.

O grupo de manifestantes é formado por apoiadores do presidente, mas o clima é de decepção. Em entrevista ao Correio Braziliense, uma das organizadoras das manifestações resumiu o sentimento do grupo.

"A gente se sente abandonado, a gente se sente traído, porque nós sempre fomos a base de sustentação de Bolsonaro, desde que ele se candidatou a vereador. Então, a gente ficou decepcionado. A gente continua apoiando o governo, nós queremos que o governo do presidente Bolsonaro dê certo, mas a gente sente que foi deixado para trás. É como se a gente tivesse sido descartado", disse ao jornal Ivone Luzardo.

Outra reclamação do grupo, segundo o portal Uol, é a redução dos valores de adicionais de disponibilidade, ganho pelo fato de o militar ser obrigado a ficar completamente disponível para a força.

O que diz o Ministério da Defesa sobre a queixa dos militares da reserva

Em nota enviada à Gazeta do Povo, o Ministério da Defesa informou que a reforma da Previdência dos militares “reestruturou a carreira militar e dispôs sobre o Sistema de Proteção Social dos Militares, não se tratando, portanto, de reajuste salarial” e foi amplamente discutida, "inclusive com minucioso detalhamento financeiro e audiências públicas, nas duas Casas do Congresso Nacional, contando com a participação ativa do Ministério da Economia".

“Todos os militares, oficiais ou praças, foram tratados de forma absolutamente equivalente, inclusive em termos de adicionais de habilitação e adicionais de compensação por atividade militar, valorizando a experiência e a meritocracia, como fica claro no texto da lei e de seus anexos", afirmou ainda a Defesa.

A pasta refutou ainda a representatividade dos manifestantes, alegando que eles estão ligados a uma minoria e afirmando que "as associações que tem se manifestado, não representam as praças e pensionistas das Forças Armadas, sendo, inclusive, proibidas por lei de terem atuação política".

Leia a nota na íntegra: "A Lei nº 13.954/2019 reestruturou a carreira militar e dispôs sobre o Sistema de Proteção Social dos Militares, não se tratando, portanto, de reajuste salarial. A Lei não beneficiou "principalmente os oficiais”. Todos os militares, oficiais ou praças, foram tratados de forma absolutamente equivalente, inclusive em termos de adicionais de habilitação e adicionais de compensação por atividade militar, valorizando a experiência e a meritocracia, como fica claro no texto da lei e de seus anexos.

O assunto foi tratado com absoluta transparência, por meio do Projeto de Lei nº 1645/2019, que foi amplamente discutido, inclusive com minucioso detalhamento financeiro e audiências públicas, nas duas Casas do Congresso Nacional, contando com a participação ativa do Ministério da Economia. Após ser detalhadamente examinado e debatido nas respectivas comissões, o PL nº 1645/2019 foi aprovado pela Câmara dos Deputados e pelo Senado Federal. Assim, o Presidente da República sancionou a Lei nº 13.954, de 16 de dezembro de 2019.

Ressalta-se, ainda, que as associações que tem se manifestado, não representam as praças e pensionistas das Forças Armadas, sendo, inclusive, proibidas por lei de terem atuação política. A Constituição Federal (Art. 142, Inc IV) e o Estatuto dos Militares (Art. 151) proíbem manifestações e a vinculação do nome das Forças Armadas a associações de caráter reivindicatório.

As ditas associações estão ligadas a uma minoria, que não foi contemplada em sua plenitude com as mudanças advindas da reestruturação da carreira, por não possuírem os todos os requisitos valorizados pelo projeto.

A maioria dos militares, sejam oficiais, sejam praças, foram favorecidos pelas alterações dos percentuais do Adicional de Habilitação – referente aos cursos realizados com aproveitamento pelo militar e pela criação do Adicional de Compensação por Disponibilidade Militar, que valoriza a disponibilidade permanente e a dedicação exclusiva inerentes à carreira militar.

O Ministério da Defesa entende que não houve distorções no Projeto, à medida que não se tratou de um reajuste salarial, mas de uma reestruturação de carreira, que foi iniciada em 2016 e cujas ideias-forças foram a valorização da meritocracia, da dedicação exclusiva e da disponibilidade permanente, inerentes à carreira militar. Mesmo assim, reitera seu compromisso, assumido à época, de participar das discussões de comissão venha a ser criada no Congresso Nacional sobre o tema. Em suma, o assunto sempre foi e, continuará sendo, tratado com absoluta transparência pelo Ministério da Defesa.”

Atualização

Acrescentada a nota oficial do Ministério da Defesa.

Atualizado em 09/11/2020 às 11:20
9 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 9 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • B

    Binho RbSoft

    ± 6 dias

    O Ministério da Defesa emitiu mesmo uma nota de esclarecimento com o trecho abaixo? "... as associações que tem se manifestado, não representam as praças e pensionistas das Forças Armadas..." O trecho contém um erro GROTESCO de gramática, não deveria ter aquela vírgula...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • B

      Binho RbSoft

      ± 6 dias

      Por que a tal nota de esclarecimento transcrita nesta matéria não está no site do Ministério da Defesa?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • F

        Freitas

        ± 12 dias

        kkkk O mundo gira... rsss

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • R

          Rodiney da Silva

          ± 12 dias

          Grande paradoxo desse Governo, cujo PR sempre "lutou" pelos militares, mas qdo assumiu a presidência os esqueceu e optando pela manutenção das regalias dos oficiais superiores e generais. Vergonha!

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • N

            NH4NO3

            ± 12 dias

            Militar no Brasil passa vergonha e tem orgulho disto. Basta ver o Ministro da Saúde e os Generais que batem continência para um Capitão-tenente fuleiro. Militar é puxa-**** de governo, mesmo sendo este governo o mais insano possível.

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            • P

              Paulo Roberto Pinheiro

              ± 12 dias

              A "reestruturação" da carreira militar provocou um "aumentão" de 500 reais nos vencimentos líquidos de um oficial general, pois os descontos aumentaram junto com as gratificações. Será que o general Heleno vai agora deixar de ter vergonha de dizer ao seu filho quanto ganha um general?

              Denunciar abuso

              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

              Qual é o problema nesse comentário?

              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

              Confira os Termos de Uso

              • V

                VERONICA

                ± 12 dias

                Todos tem que dar sua cota de contribuição! Se aposentados pagam previdencia, pensionista de militar não é melhor que ninguém. Militar se aposenta aos 50 anos e isso é um benefício que foi mantido. Chega de privilégios!

                Denunciar abuso

                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                Qual é o problema nesse comentário?

                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                Confira os Termos de Uso

                1 Respostas
                • S

                  sansão

                  ± 12 dias

                  50 anos é uma vergonha!!!

                  Denunciar abuso

                  A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                  Qual é o problema nesse comentário?

                  Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                  Confira os Termos de Uso

              • Z

                Zyss

                ± 12 dias

                Por isso que sempre digo que não se pode confiar em militares. Eles não querem mudar uma palha desta situação de privilégios.

                Denunciar abuso

                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                Qual é o problema nesse comentário?

                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                Confira os Termos de Uso

                Fim dos comentários.