Blog / 

Rodrigo Constantino

Um blog de um liberal sem medo de polêmica ou da patrulha da esquerda “politicamente correta”.

Artigos

Novo estudo mostra cobertura desproporcional da mídia do caso envolvendo os russos

A mídia mainstream dedicou amplo espaço à cobertura do caso envolvendo os russos quando o “escândalo” tinha Trump como alvo. O presidente e sua suposta relação com os russos foi assunto da imprensa por dias, mesmo que tudo estivesse baseado em denúncias sem substância dos democratas.

Quando veio à tona que o próprio Comitê Nacional Democrata pagou pelo dossiê, porém, a mídia imediatamente perdeu o interesse pelo caso. Um estudo recente comparou o tempo dedicado a cada caso, mostrando que a cobertura contra Trump teve de 3 a 6 vezes mais atenção:

Na média, a cobertura foi cinco vezes maior quando Trump era o alvo. A situação fica ainda pior quando se compara com a cobertura do acordo de urânio do governo Obama com os russos, uma história ainda mais escabrosa do que o dossiê feito por ex-espiões. De acordo com o Media Research Center, a CBS dedicou ridículos 69 segundos ao escândalo, enquanto a ABC e a NBC ainda não cobriram a notícia.

Num comunicado do Media Research Center, seu presidente Brent Bozell foi direto ao apontar o absurdo da discrepância, comparando a “bomba” atual contra os democratas com o Watergate, que levou à renúncia de Nixon. Para Bozell, isso está além de um jornalismo irresponsável. Para ele, a mídia agora é cúmplice de uma tentativa de esconder um escândalo grave. 

Para Bozell, esses jornalistas falharam com o povo americano, e devem sofrer pressão até não mais tiverem como ignorar a história. E nem mesmo sob pressão esses “jornalistas” deixam de lado a torcida ideológica e partidária para fazer… jornalismo.

Não esperem, por exemplo, que esses veículos de imprensa deem destaque para o fato de que Obama pagou quase $1 milhão à mesma firma de advocacia que pagou ao Fusion GPS para produzir o dossiê contra Trump. Mais ou menos na mesma época em que o tal dossiê começou a ser preparado, o ex-presidente democrata pagou $972 mil ao escritório.

Esse montante se soma aos mais de $10 milhões que a organização da campanha de Hillary Clinton e o próprio Comitê Nacional Democrata pagaram ao mesmo escritório, Perkins Coie. Que baita coincidência, não?! E a mídia não acha que o assunto é do interesse do público, do povo americano?

A obsessão em destruir Trump tem ofuscado a busca pela verdade, função básica do jornalismo. Como fica claro, não é exclusividade nossa ver a GloboNews fazendo campanha escancarada para causas “progressistas” e deixando completamente de lado a tentativa de ser imparcial, ou o “Fantástico” praticamente elogiando a revolução russa, responsável pela morte de milhões de inocentes.

RIP, Fake News!

Rodrigo Constantino

8 recomendações para você

Sobre / 

Rodrigo Constantino

Economista pela PUC com MBA de Finanças pelo IBMEC, trabalhou por vários anos no mercado financeiro. É autor de vários livros, entre eles o best-seller “Esquerda Caviar” e a coletânea “Contra a maré vermelha”. Contribuiu para veículos como Veja.com, jornal O Globo e Gazeta do Povo. Preside o Conselho Deliberativo do Instituto Liberal.

Saiba Mais

Arquivos