i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Rodrigo Constantino

Foto de perfil de Rodrigo Constantino
Ver perfil

Um blog de um liberal sem medo de polêmica ou da patrulha da esquerda “politicamente correta”.

O mecanismo empobrecedor

  • PorRodrigo Constantino
  • 03/04/2018 13:37
O mecanismo empobrecedor
| Foto:

Por Roberto Rachewsky, publicado pelo Instituto Liberal

Assim como os seres humanos são compostos por corpo e mente, algo concreto e algo abstrato, os governos também são. O corpo de um governo são os indivíduos e os bens materiais que o compõem.

Sob a ótica da economia, em se tratando de governo, as pessoas e os bens materiais são considerados gastos. Para cobrir esses gastos, os governos se valem de taxas e impostos. A única maneira de diminuir os gastos do governo é reduzindo o pessoal e o ativo imobilizado. Nesse caso, a redução que poderia ser obtida diz respeito aos valores absolutos despendidos.

Quando pensamos na redução dos valores gastos pelo governo em termos relativos, devemos pensar: relativos a quê? Obviamente, relativos ao que a sociedade produz. Afinal, é dessa produção que os recursos para cobrir os gastos do governo se originam. É nesse ponto que se torna importante o componente abstrato do governo. Qual seria esse componente abstrato? Nada mais do que o uso da coerção que impede que os indivíduos, isolados ou de forma associada, empreendam, exercitando a livre iniciativa para criar, produzir e comerciar os valores que gerarão riqueza.

O efeito que o uso potencial da coerção contra os indivíduos em uma sociedade, quando esses querem apenas criar e produzir valor, tem um poder deletério cujo resultado é exatamente o da não materialização daquilo que esses indivíduos gostariam de criar e produzir para si e para os demais com o propósito de lucrar. O poder coercitivo usado como uma força anticapitalista é um fantasma que assombra as sociedades submetidas a uma mentalidade coletivista estatista que encarna governos hipertrofiados que se tornam um peso para aqueles que são obrigados a carregá-los nas costas.

Infelizmente, há uma enorme miopia na compreensão do poder multiplicador de riqueza que a liberdade econômica pode proporcionar para uma sociedade, inclusive para o próprio governo. Se o governo, em vez de inibir o crescimento do setor produtivo com regulações e taxações que ele institui para controlar e parasitar quem produz, liberasse a força da livre iniciativa e protegesse a propriedade privada, receberia muito mais recursos em termos absolutos e tomaria muito menos em termos relativos do setor produtivo da sociedade.

A criação de riqueza se dá, de forma constante e crescente, nos ambientes onde é ampla a liberdade para inovar, investir, empreender, contratar, produzir, comerciar e consumir. A sociedade prospera onde o uso da coerção por parte do governo se destina exclusivamente a combater a violência, tendo o exato propósito de permitir que os indivíduos criativos, inovadores e produtivos sejam capazes de agir de acordo com seus próprios julgamentos, para realizar seus próprios propósitos, através do seu próprio esforço, oferecendo oportunidades e valor para os outros.

Um governo que usa a coerção para regular e taxar a livre iniciativa e a propriedade privada, penalizando a criação de riqueza e dificultado a geração de valor, se torna um fardo que sociedade alguma é capaz de suportar por muito tempo sem perder a dignidade.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.