i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Rodrigo Constantino

Foto de perfil de Rodrigo Constantino
Ver perfil

Um blog de um liberal sem medo de polêmica ou da patrulha da esquerda “politicamente correta”.

Promoção de filho de Mourão no Banco do Brasil comprova que só há uma solução: Privatize Já!

  • PorRodrigo Constantino
  • 08/01/2019 15:33
Promoção de filho de Mourão no Banco do Brasil comprova que só há uma solução: Privatize Já!
| Foto:

Antonio Hamilton Rossell Mourão, filho do vice-presidente Hamilton Mourão, será assessor especial do presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes. A promoção foi confirmada pela assessoria do banco.

Com o novo cargo, ele mais que triplicará seu salário, passando a ganhar R$ 36,3 mil por mês. A nova função equivale a um cargo de executivo.

Funcionário de carreira do banco há 18 anos, Rossell Mourão vinha atuando há 11 anos como assessor na área de agronegócio da instituição, ganhando cerca de R$ 12 mil mensais.

Na presidência, Rossell Mourão continuará exercendo a mesma função, mas aconselhando o presidente do banco, Rubem Novaes, diretamente.

A forma como o filho de Mourão subiu na carreira foi considerada inusual por funcionários. A ascensão, segundo eles, costuma ser progressiva. 

Após a veiculação de notícias sobre a nomeação de Rossell Mourão, o vice-presidente declarou ao jornal O Estado de S. Paulo que o filho foi promovido por ter “mérito”. “(Meu filho) possui mérito e foi duramente perseguido anteriormente por ser meu filho”, afirmou Mourão.

O que dizer disso? A promoção é ilícita? Não, não é. Mas é moral? É adequada? Não sei dos méritos do funcionário, mas sei que, na melhor das hipóteses, o timing é péssimo e acende uma luz amarela de alerta.

Digo isso como alguém que comentou hoje mesmo, na Jovem Pan, que a escolha de liberais para o comando dos bancos públicos era uma “second best solution” bem ao estilo de Chicago, escola de Paulo Guedes e de Rubem Novaes, que é não só um colunista do Instituto Liberal, do qual sou presidente do Conselho, como um amigo de velha data.

O que isso tudo demonstra, de forma clara, é que mesmo com gente liberal e boa à frente dessas instituições, a influência política – ou suspeita dela – será um fantasma que jamais vai desaparecer. Não basta à mulher de César ser honesta…

Ou seja, a única solução verdadeira, do ponto de vista liberal, é privatizar as estatais. Privatize Já! Eis a única forma definitiva de acabar com a politicagem ou a suspeita de favorecimento por conta de interesses políticos nessas empresas. No mais, estado não tem mesmo que ser empresário, muito menos banqueiro.

Que alguém como Rubem Novaes seja o presidente do BB é algo positivo, especialmente quando lembramos dos nomes que eram apontados pelo PT. Rubem tem preparo técnico, currículo de peso, foi diretor do BNDES, professor da FGV, e é um liberal de mão cheia. Mas uma andorinha só não faz verão. E um liberal no controle não impede o risco de politicagem.

Não tenho dúvidas de que essas estatais vão melhorar o desempenho sob a gestão desses liberais técnicos no governo Bolsonaro. Mas Bolsonaro não foi eleito apenas para melhorar, e muito menos para ser comparado, do ponto de vista ético, com a quadrilha petista que o antecedeu. Ele veio para mudar essa postura para valer. Não há mais espaço para essa forma velha de política. E fica evidente que a única saída a longo prazo é mesmo privatizar TUDO!

Rodrigo Constantino

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.