Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Quem financiava a quadrilha de Sininho?
| Foto:

Deu no GLOBOApontada como a principal articuladora do grupo de ativistas que comandava protestos violentos no Rio de Janeiro, Elisa De Quadros Pinto Sanzi, a Sininho, também é suspeita de organizar protestos em Minas Gerais. De acordo com o relatório final do inquérito da Polícia Civil, em fevereiro deste ano ela chegou a se refugiar em São Paulo, com medo das investigações que estavam em curso. Numa conversa por telefone, segundo o documento ao qual O GLOBO teve acesso, Sininho diz não estar preocupada com a investigação da Polícia Civil do Rio: “Estou mais preocupada com a de Minas. Lá, eles já têm provas para me indiciar por formação de quadrilha”, disse ela, de acordo com transcrição contida no relatório.

Ainda no GLOBOA advogada Eloísa Samy é acusada de ter comandado atos violentos no Rio. Segundo denúncia do Ministério Público estadual, Samy se juntou ao grupo que organizava as depredações para dar assistência jurídica, mas acabou passando a participar ativamente das manifestações, dando, inclusive, orientações aos ativistas. Além disso, a advogada prestou apoio logístico, cedendo a residência onde mora para reuniões do grupo.

Na manhã desta segunda-feira, Eloísa e outros dois ativistas, Davi Paixão e Camila Nascimento, abrigaram-se no consulado do Uruguai, em Botafogo, na Zona Sul, para aguardar uma resposta sobre o pedido de asilo político no país feito por Eloísa. Segundo o advogado do Grupo Coletivo de Advogados, Rodrigo Mondego, eles fizeram o pedido por medo.

A situação dos quadrilheiros fica cada vez mais patética. Ainda há, claro, a turma dos “direitos humanos” (ou “direito dos manos”) que alega perseguição política e coisa do tipo. Uma piada de mau gosto. A OAB, que atualmente poderia muito bem significar Ordem dos Advogados Bolivarianos, está cheia de defensores dos “ativistas”, eufemismo para criminosos.

Pedir asilo político no Uruguai é realmente o ápice da cara de pau. Vão alegar o quê? Que o Brasil do PT não é uma democracia, enquanto boa parte do próprio PT defende os marginais? Vão se oferecer para plantar maconha na terra de Mujica, em vez de cumprir pena por seus crimes aqui? A palhaçada já passou dos limites.

A advogada Eloísa Samy que pediu asilo ao Uruguai. Fonte: GLOBO

A verdade é que os marginais acharam que era divertido “brincar de revolucionário”, atacar policiais, articular grupos mascarados com bombas caseiras, acreditando que jamais haveria punição por isso. Colocaram-se acima das leis, como de praxe na esquerda radical. Hora do acerto de contas.

Mas uma pergunta ainda precisa ser respondida sobre a Terra do Nunca, onde sininhos surgem do nada com grande poder de organização para formar quadrilhas: de onde vinha o dinheiro? Quem financiava a turma de marginais? Quem dava suporte financeiro para os criminosos? O capitão Gancho? Peter Pan?

PS: Os atores globais (e até mesmo um juiz!) podem se fingir de mortos agora que o bicho pegou e que as evidências de que os “manifestantes” não passavam de marginais vieram à tona, mas nós estamos aqui, gentilmente, para refrescar-lhes a memória do que defenderam:

httpv://youtu.be/-10Wwf20R1E

Rodrigo Constantino

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]