001154

Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Tecnologia
  3. Grandes empresas também querem os games na educação

Educaparty

Grandes empresas também querem os games na educação

Fundação Telefônica/Vivo, Natura, Instituto Ayrton Senna e Joy Street anunciam parceria para desenvolvimento de plataforma inovadora

  • Luís Celso Jr.
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

A tentativa de usar os games no processo educacional vai além da escola e de desenvolvedores isolados. As grandes empresas estão atentas para isso. Um grande projeto de construção de uma plataforma lúdica de educação, que usa os games e a mecânica de redes sociais para o processo de aprendizagem, foi anunciado durante a edição Recife da Campus Party nesta sexta-feira (27). É uma aposta, um esforço conjunto, que une a Fundação Telefônica/Vivo, Natura, Instituto Ayrton Senna e Joy Street.

"A proposta dessa parceria é construir aventuras educacionais inovadoras. Afinal, a educação também pode se inovar, e as tecnologias podem ajudar nisso", diz Adriana Martinelli, coordenadora da área de Educação e Tecnologia do Instituto Ayrton Senna. O projeto ainda não tem um nome oficial e deve envolver cerca de 2 milhões de estudantes a partir de 2014.

O público principal dessa plataforma deve ser principalmente de alunos de 4º ao 7º ano na escola pública, que tem alto índice de abandono escolar. Um dos principais objetivos do projeto é justamente diminuir esse índice e aumentar o desempenho dos estudantes. Mas também deve afetar professores, no sentido de capacitá-los para o uso das tecnologias em sala de aula. "Na plataforma, queremos que os estudantes desenvolvam estratégias para resoluções de problemas voltadas à aprendizagem", diz Adriana.

"A ideia é uma rede social gameficada aliada à conteúdo escolar, que também quer resgatar o papel e a relevância do professor no processo de aprendizagem", explica Fred Vasconcelos, presidente da Joy Street. A mecânica e o uso na edução devem garantir uma forma inédita de rede social gameficada, promete.

O projeto está atualmente em fase de definição, e a partir de agosto deve entrar em desenvolvimento. A fase de testes começa no início do ano letivo de 2014, já com 30 mil alunos envolvidos.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O jornalismo da Gazeta depende do seu apoio.    

Por apenas R$ 0,99 no 1º mês você tem
  • Acesso ilimitado
  • Notificações das principais notícias
  • Newsletter com os fatos e análises
  • O melhor time de colunistas do Brasil
  • Vídeos, infográficos e podcasts.
Já é assinante? Clique aqui.
>