Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Toda a viagem passa por três continentes, em aproximadamente 16 mil quilômetros sobre trilhos por 14 cidades do Canadá, China, Mongólia e Rússia.
Toda a viagem passa por três continentes, em aproximadamente 16 mil quilômetros sobre trilhos por 14 cidades do Canadá, China, Mongólia e Rússia.| Foto: Divulgação

A largada é dada em Toronto, no Canadá, com um jantar no celebrado restaurante 360 da CN Tower. Lá os turistas começam a se preparar para a única edição anual do projeto Volta ao Mundo de Trem, organizado pelo grupo TT Travel.

A viagem parte de Toronto, no Canadá. Foto: Divulgação.
A viagem parte de Toronto, no Canadá. Foto: Divulgação.

É na mesma cidade que o embarque começa. A bordo do Trem Canadense, o percurso atravessa as Montanhas Rochosas, com parada no Glacier Skywalk, uma plataforma com chão transparente que dá a impressão de contato direto com as montanhas.

 A primeira parada é na  Glacier Skywalk, uma plataforma com chão transparente que dá a impressão de contato direto com as montanhas. Foto: Divulgação
A primeira parada é na Glacier Skywalk, uma plataforma com chão transparente que dá a impressão de contato direto com as montanhas. Foto: Divulgação | SCOTT ROWED

Ao sul do país, nos campos de gelo de Columbia, o roteiro inclui um passeio de snowcoach ao longo do Glaciar Athabasca. Após um trecho de avião de Vancouver a Pequim, os viajantes chegam à Grande Muralha da China, uma das Sete Maravilhas do Mundo para pegarem o segundo trem.

O roteiro a seguir atravessa dois continentes, de Erlian, na Mongólia, a Moscou, na Rússia. Na capital do primeiro país, Ulan Bator, os viajantes fazem uma pausa para visitar o Parque Nacional Gorkhi Terelj. A programação prevê o contato com uma família nômade típica da região, com objetivo de aprender sobre a cultura e os costumes locais.

A paisagem impressiona em todos os trechos: são 16 km sobre trilhos. Foto: Divulgação
A paisagem impressiona em todos os trechos: são 16 km sobre trilhos. Foto: Divulgação| Divulgação

A viagem continua até chegar na Rússia. O Lago Baikal, o maior de água doce do mundo, localizado na Sibéria, será o primeiro ponto de parada, seguido pela cidade de Kazan, com direito ao show folclórico “Tugan Avalim”, da cultura tártara.

O contato com uma família nômade, na Mongólia, faz parte do roteiro. Foto: Divulgação.
O contato com uma família nômade, na Mongólia, faz parte do roteiro. Foto: Divulgação.

A volta ao mundo termina em Moscou, com visita ao Kremlin, sede do governo russo, incluindo visitar aos museus, jardins e catedrais. Toda essa viagem leva 24 dias e tem saída única marcada para o dia 15 de agosto e retorno em 6 de setembro de 2020.

 O Lago Baikal, o maior de água doce do mundo, localizado na Sibéria. Foto: Divulgação.
O Lago Baikal, o maior de água doce do mundo, localizado na Sibéria. Foto: Divulgação.

Toda a viagem passa por três continentes, em aproximadamente 16 mil quilômetros sobre trilhos por 14 cidades do Canadá, China, Mongólia e Rússia.

 A volta ao mundo termina em Moscou, com visita ao Kremlin, sede do governo russo, depois de 24 dias. Foto: Divulgação.
A volta ao mundo termina em Moscou, com visita ao Kremlin, sede do governo russo, depois de 24 dias. Foto: Divulgação.| Andrey Omelyanchuk

Quanto custa?

A viagem custa a partir de € 16.530 por pessoa em acomodação dupla, incluindo 14 noites a bordo dos trens, oito noites em hotéis, 59 refeições, jantar no restaurante 360 da CN Tower, trecho aéreo em classe econômica Air Canada de Vancouver a Pequim e city tour, além de passeios e visitas contemplados na programação.

4 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]