i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
TRÂNSITO

Acidentes no Centro de Curitiba caem 17% após implantação da Área Calma

Queda média mensal de 17% foi verificada pelo BPTran com base nos dados dos primeiros dez meses do projeto; Cidade teve 15% de redução entre 2014 e 2015

  • PorRaphael Marchiori
  • [18/10/2016] [08:19]
Foram registrados 397 acidentes de trânsito na chamada Área Calma desde a sua implantação, com 51 feridos | Antônio More/Gazeta do Povo
Foram registrados 397 acidentes de trânsito na chamada Área Calma desde a sua implantação, com 51 feridos| Foto: Antônio More/Gazeta do Povo

Em um cenário de queda no total de acidentes de trânsito registrados em Curitiba, a região da chamada Área Calma, com limite de 40 km/h, seguiu a mesma tendência e apresentou uma diminuição ligeiramente maior do que a vista no restante da cidade.

De acordo com o Batalhão de Polícia de Trânsito, 397 acidentes foram contabilizados na região nos primeiros dez meses do projeto. No ano anterior à implantação da medida, levando em conta todos os doze meses, foram 596. A queda média mensal foi de 17%. Como o batalhão não possuía um recorte temporal anterior idêntico ao do período pós-implantação, a média mensal de acidentes é a única comparação possível.

A média mensal de acidentes entre 15/11/2014 e 15/11/2015 ficou em 48 casos – o número engloba acidentes com viatura no local e sem vitimas (quando não há necessidade de registro da ocorrência). Já nos primeiros dez meses do novo limite de velocidade, essa média caiu para 39,7. O BPTran compilou os dados a pedido da Gazeta do Povo.

Greca e Leprevost cogitam aumentar limite de velocidade na Área Calma

Leia a matéria completa

Para Mauricio Razera, diretor de engenharia da Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba (Setran), embora ainda não haja dados sobre as características desses acidentes, qualquer redução é bem-vinda. “Mesmo sendo um período muito curto [de análise], já teve uma significativa redução dos dados de acidentes e mortes”.

Os dados do BPTran mostram ainda que a redução dos limites de velocidade trouxe também uma diminuição na gravidade dos acidentes. No primeiro período analisado, foram 83 feridos na Área Calma – sete por mês. Após a implantação do projeto, esse indicador caiu para 51 – uma média de cinco feridos ao mês. A polícia computou dois óbitos na região entre novembro de 2015 e setembro de 2016.

O projeto Vida no Trânsito analisa dados de acidentes em Curitiba registrados a partir de 2012. Daquele ano até o final de 2015, segundo Razera, foram 30 óbitos na região que hoje engloba a Área Calma. A diminuição no total de mortos e feridos em acidentes de trânsito em áreas com redução da velocidade máxima é o principal argumento de quem defende essa medida de engenharia de trânsito.

Queda

Os acidentes de trânsito vêm caindo em toda Curitiba, também de acordo com dados do BPTran. Em 2014, foram registrados 7.054 acidentes com 61 óbitos. No ano passado, ocorreram 5.963 acidentes de trânsito com 48 óbitos. As quedas são de 15% e 21%, respectivamente.

Curitiba está, inclusive, aproximando-se da meta da Organização das Nações Unidas (ONU) que prevê redução de 50% no total de mortes no trânsito até 2020 em relação aos dados de 2010.

Reportagem publicada na Gazeta do Povo em abril deste ano mostrou que o município havia registrado 184 mortes no trânsito em 2015, uma redução de 40% na comparação com 2010.

Limites

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde e Organização Pan-Amerciana da Saúde, uma redução de 5% nos limites de velocidade pode resultar em 30% menos acidentes fatais. Um exemplo disso é que a distância de parada é 23% menor para um veículo trafegando a 40 Km/h do que para um trafegando a 48 km/h.

Pensando nesses dados, a OMS propôs às cidades que adotassem limites máximos de 50 Km/h em suas áreas urbanas. O Código Brasileiro de Trânsito, entretanto, permite que vias arteriais tenham limites de 60 km/h. Já vias de trânsito rápido pode ter limite de até 80 km/h.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.