• Carregando...

Condenado pelo caso do Morro do Boi, Juarez Ferreira Pinto foi liberado pela Justiça na noite de ontem, em Curitiba, para cumprir a pena em casa. O motivo foi o fato de ele estar com a saúde debilitada, já que é portador de Aids. À noite, o acusado já não estava mais na Casa de Custódia onde cumpria a pena até então.

O pedido de prisão domiciliar foi feito pelo advogado Cláudio Dalledone Junior, da defesa de Juarez. O defensor não detalhou que tipo de dificuldades seu cliente enfrenta por causa da doença. "Foi feito um parecer indicando que ele está debilitado de saúde, em razão de que ele é portador de Aids, foi colocado em prisão domiciliar."

O advogado explica que a partir de agora Juarez permanecerá sem escolta em casa. "Vai ficar preso domiciliarmente. Possivelmente com uma tornozeleira eletrônica." Dalledone disse que poderá detalhar como será o cumprimento da pena domiciliar apenas na segunda, já que está em viagem pelo interior do Paraná e não tinha como esmiuçar a decisão.

O acusado poderá cumprir o restante da pena – 65 anos e cinco meses de prisão, concedida em outubro deste ano – em casa. Juarez foi condenado por latrocínio e atentado violento ao pudor.

O crime aconteceu contra o casal Osíris Del Corso, que morreu, e Monik Pegorari de Lima, que ficou paraplégica ao ser baleada e violentada. O caso aconteceu no Morro do Boi, em Matinhos, em janeiro de 2009, e ganhou uma grande repercussão.

0 COMENTÁRIO(S)
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]