O advogado do goleiro Bruno e de cinco suspeitos, Ércio Quaresma, reclama da dificuldade de acesso ao inquérito policial e diz que está montando uma equipe para fazer uma investigação paralela a da polícia. Ele diz que vai contratar médicos e peritos para contestar os laudos e provas obtidos até agora.

O advogado afirma que seus clientes só vão prestar depoimento depois que ele tiver acesso ao inquérito policial. Mas a polícia quer que os advogados formalizem o pedido do inquérito na Justiça para terem acesso aos documentos.

Os advogados de defesa devem entrar hoje com um pedido de habeas corpus para os clientes.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]