i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
outro lado

Advogado de Carli Filho critica “novelização” do caso

  • PorFelippe Aníbal
  • [15/01/2016] [18:59]
 | Marcelo Elias  /Gazeta do Povo/Arquivo
| Foto: Marcelo Elias /Gazeta do Povo/Arquivo

O advogado Gustavo Scandelari, que compõe a defesa do ex-deputado Luiz Fernando Ribas Carli Filho, criticou o que chama de “novelização” do caso e afirmou que existem muitas “lendas urbanas” em torno do acidente que envolveu seu cliente e que terminou com a morte de dois jovens. O julgamento do ex-parlamentar foi suspenso por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), deferiu uma liminar ao pedido de habeas corpus impetrado pela defesa.

“A novelização não traz benefício nenhum à sociedade. Aumenta o risco de pressionar o julgador, que é uma pessoa, que precisa de toda serenidade para chegar a sua decisão. Tudo isso foge ao habitual”, apontou o advogado.

Scandelari também criticou a audiência realizada nesta sexta-feira (15), entre a deputada federal Christiane Yared – mãe de um dos jovens mortos no acidente – e o presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowski – autor da decisão que suspendeu o julgamento. Na avaliação do advogado de Carli Filho, o habeas corpus é ação que envolve a defesa a o Judiciário. Por isso, ele considera ilegítima a intervenção da família da vítima.

“O habeas corpus é uma ação da qual a vítima não faz parte. Acho curioso que uma pessoa que é parte do processo solicite audiência com o ministro para lhe fazer pedidos”, apontou Scandelari. “A deputada alega influência e poder político do nosso lado, mas ela é a única pessoa que detêm cargo político e está buscando o contato com o Judiciário, o que me parece muito criticável”, emendou.

Lendas urbanas

O defensor também comentou suposições apresentadas pela família Yared, que chegou a mencionar que teria ocorrido um racha. A declaração foi feita em uma postagem em uma rede social por Gilmar Yared – marido de Christiane e pai de uma das vítimas. “Isso é um absurdo. É lenda urbana. Esse caso está recheado de lendas urbanas”, comentou o advogado de Carli Filho. “O carro [de Carli Filho] não era blindado, não houve racha [antes do acidente], o velocímetro não estava travado em 190 km/h, não sumiram imagens de câmeras de segurança”, afirmou Scandelari.

Acidente de trânsito

Na avaliação de Scandelari, o caso se trata de um acidente de trânsito. Ele argumenta que a batida teria sido provocado porque o Honda Fit em que as vítimas trafegavam furou a preferencial, sendo atingido pelo carro dirigido por Carli Filho. Por causa disso, o advogado entende que o caso deve ser julgado como duplo homicídio culposo - sem a intenção de matar.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]
Tudo sobre:

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.