A Aeronáutica se reunirá nesta segunda-feira (25), em Recife, para definir se a perícia da caixa-preta do bimotor King Air B350, prefixo PR-MOZ será feita no Brasil ou no exterior.

O avião caiu na noite de sexta-feira (22), quando se preparava para pouso no aeroporto do Condomínio Terravista, que fica entre Trancoso e Arraial DAjuda, no sul da Bahia. Testemunhas afirmam que o bimotor explodiu após choque contra o solo, a uma distância de 200 metros da cabeceira da pista. O acidente provocou a morte de 14 pessoas.

A caixa-preta grava conversas do piloto, o que ajudará na investigação das causas do acidente. De acordo com a assessoria da Força Aérea Brasileira (FAB), os motores do avião foram encaminhados para São José dos Campos, interior de São Paulo, onde fica o Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial, ligado FAB.

Segundo o governo da Bahia, das 14 vítimas, quatro já foram identificadas. O reconhecimento foi feito pela arcada dentária.

O sócio-fundador da empresa Arsenal Investimentos, Roger Ian Wright, a esposa dele, filhos do casal e netos estavam no voo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]