Carlos Eduardo Ochoski, 18 anos, morreu na tarde de terça-feira (3) ao ter tido azar em uma roleta russa no apartamento de um amigo, localizado no bairro Sítio Cercado, em Curitiba. Roleta russa consiste em colocar uma bala no tambor de um revolver, girá-lo e fazer disparos, até que o compartimento com bala dispare.

Ochoski e seu amigo Weslei do Nascimento Bernardo, o "Dudu", 18 anos, foram até a casa de Igor Douglas de Carvalho, 21, para jogar videogame. Segundo a Delegacia de Homicídios, antes da televisão ser ligada, Carvalho trouxe um revólver calibre 38 do quarto e anunciou a "brincadeira" da roleta russa, o que teria assustado os amigos.

Carvalho apontou o revólver contra o peito de Bernardo e puxou o gatilho. Não houve disparo. Bernardo, que em depoimento a polícia se disse "apavorado", foi até a cozinha. A roleta seguiu e Carvalho apontou a arma contra a cabeça de Ochoski. Houve um disparo, que atingiu a parte lateral esquerda da cabeça do jovem, ao lado da orelha. A bala saiu pela testa.

"Fiz burrada", teria dito Carvalho logo depois do tiro e pouco antes de sair correndo, de acordo com os registros da polícia.

O tiro atraiu vários moradores da Rua Agenor Antônio Rodrigues. A arma desapareceu. A polícia não sabe se ela foi levada por Carvalho ou por curiosos que se aglomeraram no apartamento 21 do bloco C do conjunto residencial Madrid.

"Fizemos residuograma nas mãos da testemunha [Bernado], mas nada foi encontrado", segundo o delegado Naylor Robert de Lima, da Delegacia de Homicídios. De acordo com o policial, Carvalho, o autor do disparo já foi autuado em flagrante por roubo e resistência à prisão. Em razão da autoria do crime ser conhecida, o caso deve ser repassado ao 10º Distrito Policial.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]