Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
A aposta vencedora foi feita em uma lotérica no Centro de Ponta Grossa, mas o ganhador não apareceu para receber o prêmio | Josué Teixeira/Gazeta do Povo
A aposta vencedora foi feita em uma lotérica no Centro de Ponta Grossa, mas o ganhador não apareceu para receber o prêmio| Foto: Josué Teixeira/Gazeta do Povo

Um apostador de Ponta Grossa, nos Campos Gerais, deixou escapar uma bolada de R$ 22,9 milhões da Mega-Sena. O prêmio, sorteado em 10 de julho, poderia ser retirado até as 16h desta terça-feira (8). Segundo a Caixa Econômica Federal, até o horário final, ninguém apareceu para reivindicar o dinheiro. A chance de ganhar o prêmio da Mega é de 1 em 50 mil, segundo a própria Caixa.

A aposta, que acertou as dezenas 01 - 08 - 17 - 44 - 46 - 53, foi feita em uma casa lotérica localizada na galeria de um edifício no centro de Ponta Grossa. A gerente da casa lotérica, Valquíria Kubisch, disse que no mesmo dia da aposta vencedora foram recebidas cerca de 500 apostas. "No mesmo dia do sorteio, a Caixa nos ligou informando que a apostadora vencedora foi feita aqui", conta.

O passar dos dias e a demora do apostador sortudo em resgatar o prêmio aumentaram os burburinhos na cidade. Nesta terça-feira, no último dia do resgate e véspera de mais um sorteio de Mega-sena acumulada, havia filas na mesma casa lotérica. A aposentada Lúcia Zbelinski, que joga há anos nos mesmos números na Mega-Sena, acredita que o apostador sortudo perdeu o bilhete. "Dizem que a mulher dele lavou a calça com o bilhete no bolso e o bilhete se desmanchou na água", acredita.

Outros comentam que o apostador morreu e outros ainda que ele não é de Ponta Grossa e não soube que fez a aposta premiada. "Não tem como saber, algumas pessoas apareceram e nos falaram que tinham ganhado, mas se tivessem mesmo, o dinheiro tinha sido retirado", acrescenta Valquíria. É a segunda Mega-Sena premiada que sai de sua casa lotérica. Em 1996, um apostador ganhou R$ 3 milhões ao acertar as dezenas.

Como as agências da Caixa em Ponta Grossa estão em greve, não havia movimentação de curiosos hoje na superintendência da Caixa. Mas, o gerente regional, Edilson Oliveira, lembrou que o resgate poderia ser feito em qualquer agência da Caixa no Brasil. "Há sempre pequenos prêmios que deixam de ser retirados, mas um prêmio desse valor esquecido, é uma coisa quase inédita", comentou. Caso o apostador retirasse seu prêmio hoje – 90 dias após o sorteio – ele teria deixado de poupar R$ 338 mil se o montante estivesse desde julho depositado na poupança. Esquecidos

O prêmio esquecido em Ponta Grossa não é o único caso no Brasil. De janeiro a julho deste ano a Caixa registrou o total de R$ R$ 137,8 milhões em prêmios prescritos em vários concursos e modalidades de loterias. Desde 2001, há uma legislação que determina que os prêmios prescritos sejam destinados ao Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies), que é uma modalidade na qual o universitário paga seus estudos através de financiamento feito na Caixa. O Fies financia de 50% a 100% dos encargos e o pagamento é feito após a formatura. Entre janeiro a agosto deste ano, a Caixa registrou 423 mil novos contratos do Fies.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]