i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
polêmica

Ativistas denunciam maus-tratos com animais de rodeio na ExpoLondrina

Vídeo gravado pelo Grupo Londrina Sem Rodeio mostra touros e bois recebendo choques, chutes, socos e outras agressões

  • PorMarcelo Frazão, do Jornal de Londrina
  • Londrina
  • 23/04/2015 15:21
Em foto do grupo, peão segura espécie de teaser elétrico, proibido em leis federais, enquanto aguarda para “preparar” os animais para pular na arena . | Reprodução/Londrina sem Rodeios
Em foto do grupo, peão segura espécie de teaser elétrico, proibido em leis federais, enquanto aguarda para “preparar” os animais para pular na arena .| Foto: Reprodução/Londrina sem Rodeios

O grupo Londrina Sem Rodeio entregou à Câmara de Vereadores de Londrina imagens que mostram animais sendo agredidos durante o rodeio realizado no último fim de semana na ExpoLondrina. As provas de maus tratos a bois e touros também serão entregues à Promotoria de Meio Ambiente.

Veja um vídeo que mostra os animais sendo agredidos no rodeio

Com os flagrantes trazidos a público, o grupo espera colocar Londrina fora do mapa dos rodeios, junto com 50 cidades brasileiras em que leis municipais e ações judiciais proíbem a realização destes eventos. A Lei de Crimes Ambientais pune agressões a animais com detenção de 1 ano a 3 anos, além de multa.

Segundo integrantes do grupo, as imagens foram gravadas no último dia da etapa de Londrina do Professional Bull Riders (PBR), realizada na arena do Parque de Exposições Ney Braga. As fotos e vídeos estão armazenados na comunidade “Londrina sem rodeios”, no Facebook.

Em Maringá, flagrantes semelhantes na ExpoIngá, em 2014

Em Maringá, o grupo Maringá Vegano também luta contra os rodeios na cidade. Em um vídeo gravado em 17 de maio de 2014, segundo eles durante a feira agropecuária, peões são mostrados em práticas semelhantes às flagradas em Londrina: puxões pelo rabo, socos, tapas, chutes e objetos pontiagudos são usados contra os animais que vão entrar na arena. Os bastões amarelos, de choques, também são visíveis.

Um dos bois, assim que solto para a arena, parece desorientado, está confuso e baba após derrubar o peão. Segundo o grupo, sintomas das agressões sofridas “para garantir o show”. As imagens da ExpoIngá estão no You Tube.

Em um dos vídeos já disponibilizados na internet, com cerca de três minutos de duração, peões aparecem “preparando” animais para entrar na arena. Um deles, tem um bastão que serve, aparentemente, para espetar os bois. Outro peão também carrega um bastão metálico, de um metro, com o qual bate na cabeça dos animais que esperam para ser montados.

Em um outro flagrante, um peão está sentado na área de “preparo” dos bichos com um bastão amarelo que, afirmam os ativistas, é usado para dar choques e estressar os bois para a competição. O uso de choques em animais em rodeios também é proibido por lei federal.

Puxões pelo rabo

Outras cenas mostram os peões, repetidamente, puxando os rabos dos animais, de forma agressiva, por entre as barras de ferro do cercado, onde os bichos estão confinados.

“As agressões não são escondidas. Gravei tudo a menos de dois metros da arquibancada onde eu estava”, diz a ativista responsável pelos flagrantes, sem se identificar por medo de ameaças.

“Inicialmente, pensava que os animais eram provocados apenas momentos antes de entrar. Mas os maus-tratos são constantes: vi animais sendo agredidos por três horas seguidas, das 19h às 22h, até entrarem”, conta.

“Ficam horas confinados, sendo torturados sem parar. Não tem respiro: recebem pontapés na cabeça, choques, esporadas, são espetados com hastes com ganchos na ponta. Além disso, aguardam perto das caixas de som com volume altíssimo e se assustam com os fogos de artifício. Chocante”, disse a testemunha, que após 3 horas de gravações decidiu parar “porque não suportava mais ver aquilo”.

De acordo com a ativista, o grupo cogitou utilizar um drone para chegar perto da área dos animais – mas desistiu ao perceberem que os maus-tratos eram praticados muito próximos à plateia. “Com vários veículos de comunicação e repórteres ali, ninguém se interessava por isso”, lamentou.

Para SRP, maus-tratos não existem

O presidente da Sociedade Rural do Paraná (SRP) - organizadora da ExpoLondrina - Moacir Sgarioni, repele a existência de maus tratos aos animais do rodeio e diz que equipamentos, como sedenho – uma corda posicionada próximo aos genitais dos bichos - “fazem até cócegas para os bois pularem”. Segundo ele, “há um exagero” de quem é contra a realização dos rodeios. “Os animais comem capim e ração de primeira. São supervacinados e bem tratados”, afirma.

“Não creio que o que eles afirmam tem 100% de verdade”, declarou, antes de ver os vídeos na internet. Sgarioni explicou que a SRP apenas contrata uma empresa – a Professional Bull Riders (PBR) – responsável direta pelos rodeios. “É o modelo americano e eles nos garantem que é tudo certo”, acredita. “Aliás, tratamos tão bem os animais aqui que o Boi Bandido tem até uma estátua em homenagem”.

Sgarioni sustenta que a SRP “é democrática” e aceita discutir o tema: “Mas trata-se de um esporte com uma seletiva em que a final acontece em Las Vegas. Famílias, crianças, mulheres vem ver o show. Se tem 30 mil que gostam e dois ou três que não, aceitamos o debate”, alega.

O presidente da SRP disse que aguarda informações da empresa PBR sobre como são as garantias para os animais durante os rodeios da competição.

A reportagem do JL não conseguiu contato com representantes da PBR no começo da noite desta quarta-feira (22).

Enquanto faziam as imagens, o grupo foi abordado por um homem que se identificou como dono de parte dos animais. “Ele nos exigiu que parássemos a gravação, mas despistamos e seguimos. Não podíamos desistir de obter provas que nos dessem certeza para afirmar: há maus tratos no rodeio e o público não tem ideia do que acontece para existir todo aquele show e euforia”, diz. “É a crueldade a um palmo dos nossos narizes”.

Vereador avalia propor um projeto para dar fim aos rodeios

O grupo esteve com o vereador Fábio Testa (PPS), presidente da Câmara, que se disse estarrecido com o material revelado: “Queremos saber se essa é a praxe dos rodeios em Londrina. A sociedade terá que tomar uma decisão, pois outros municípios aboliram os maus tratos e os rodeios. Imaginar que aqueles animais levam choque é preocupante, estarrecedor. Onde estamos indo?” diz o vereador.

A partir do material, Testa avalia propor um projeto para dar fim aos rodeios em Londrina. “É um debate longo. Os rodeios fazem parte da realidade cultural de Londrina, mas não há como admitir maus tratos. A era medieval acabou e não é cabível maus tratos em um festejo popular tão bonito com a nossa feira”.

Para o vereador, as imagens “são fortíssimas e não podem ser desprezadas”.Além disso, diz, “configuram práticas abusivas que caminham para o crime de maus tratos a animais”.

Para Bruna Ontivero, representante do grupo Londrina Sem Rodeio, a violência contra animais não pode ser considerada como traço cultural do interior: “A violência não é cultura do sertanejo. Temos provas suficientes para Londrina abolir esse tipo de situação”, acredita. “No Paraná, nenhuma cidade, até agora, proibiu rodeios. Londrina pode ser pioneira”, afirma.

Esse vídeo foi feito durante o rodeio em Londrina no dia 19 de Abril de 2015 pelo grupo "Ativismo Veg Londrina".Vejam o lado cruel do rodeio!

Posted by Londrina sem rodeios on Tuesday, April 21, 2015
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.