i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Artes plásticas

Bienal de SP sob polêmica

Desenhos do pernambucano Gil Vicente são acusados de fazer “apologia ao crime”. Mostra reúne obras de 159 artistas nacionais e estrangeiros

  • PorAgência Estado
  • 25/09/2010 21:11
Gil Vicente se retratou matando autoridades mundiais, como o presidente iraniano Ahmadinejad: curadoria se recusou a censurar o artista | Maurício Lima/AFP
Gil Vicente se retratou matando autoridades mundiais, como o presidente iraniano Ahmadinejad: curadoria se recusou a censurar o artista| Foto: Maurício Lima/AFP

Com a expectativa de receber até 12 de dezembro 1 milhão de visitantes, a 29.ª Bienal de São Paulo foi aberta na manhã deste sábado para o público, no pavilhão da instituição, no Parque do Ibirapuera. Sob o título "Há Sempre Um Copo de Mar para Um Homem Navegar", verso do poeta alagoano Jorge de Lima, essa edição, orçada em quase R$ 30 milhões, tem ares de grandiosidade ao reunir mais de 800 obras de 159 artistas nacionais e estrangeiros.

O tema da mostra, com curadoria geral de Moacir dos Anjos e Agnaldo Farias, é a relação entre arte e política. Antes mesmo de começar, a Bienal despertou algumas polêmicas. No último dia 17, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP), seção São Paulo, pediu a retirada dos desenhos do artista pernambucano Gil Vicente que, segundo o órgão, fazem "apologia ao crime".

Na série, chamada de "Ini­migos", Gil Vicente se retrata matando líderes e personalidades políticas e religiosas, como o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o papa Bento XVI. A curadoria não retirou as obras de Vicente da exposição, se recusando a realizar "censura" ao artista.

Mas, ao mesmo tempo, não foi o que ocorreu com a instalação "A Alma Nunca Pensa Sem Imagem", do argentino Roberto Jacoby. Na última quarta-feira, a Bienal resolveu encobrir com papéis os grandes retratos dos candidatos à presidência Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), que faziam parte da obra, segundo o projeto do artista, destinada a discutir campanha eleitoral brasileira. Para não infringir a lei eleitoral, do trabalho também foi retirada qualquer menção a Dilma, já que Jacoby e seus colaboradores promoviam uma campanha pela petista como parte do trabalho.

Ainda, ambientalistas e órgãos de defesa se preocuparam com os três urubus vivos que integram a obra "Bandeira Branca", do artista Nuno Ramos – mas todas as licenças legais para a permanência das aves na mostra estão em dia.

Exposição

A mostra, pelo projeto expográfico feito pela arquiteta Marta Bogéa, se transforma em um labirinto para o visitante. Do lado exterior do prédio, há apenas duas obras: a da escocesa Susan Philipsz, que fez uma instalação sonora na marquise, e do cubano Wilfredo Prieto, que colocou bandeiras das nações em branco e preto na lateral do pavilhão. Esta edição tem como característica promover, além da mostra, apresentações, performances e exibições de filmes em espaços especiais no pavilhão chamados de "Terreiros".

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.