A partir das 20 horas desta segunda-feira, um grupo de 48 homens passará a integrar a Confraria de Cavalheiros da Boca Maldita, logo após receber homenagem durante o tradicional jantar anual da entidade. Entre os agraciados com o título de cavalheiro estão o prefeito de Curitiba, Luciano Ducci (PSB), e o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Ubiratan Diniz Aguiar.

Os dois e mais 46 colegas juntam-se a outros 2,5 mil cavalheiros com a missão de manter viva a tradição da capital paranaense, que registrou parte da história do Brasil do trecho da Rua Luiz Xavier, entre a Rua Ermelino de Leão e a Travessa Oliveira Belo. Ali aconteceram manifestações que mudaram os rumos da política nacional e do Paraná, como o primeiro comício Diretas Já, a passeata dos cara-pintadas contra o então presidente Fernando Collor e, mais recentemente, o comício do movimento O Paraná que Queremos, em que houve protestos contra a corrupção na Assembleia Legislativa do Paraná.

Os 48 novos cavalheiros receberão a comenda da confraria durante o 54.º jantar da entidade, que, desde 1956, acontece sempre no dia 13 de dezembro. O presidente da Boca Maldita, Ygor de Siqueira, filho de An­­frísio Siqueira (fundador da Boca Maldita), explica que todo ano a ordem recebe cerca de 300 currículos dos candidatos a cavalheiros, que só podem ser analisados com a indicação de um dos atuais membros da confraria. Uma comissão de sindicância é responsável por analisar o histórico de cada um dos pretendentes e escolher de 40 a 50 novos membros.

Serviço

54º jantar dos Cavalheiros da Boca Maldita Hotel Four Points Sheraton. Avenida Sete de Setembro, 4.211. A partir das 20 horas. Valor: R$ 60 (o jantar é por adesão).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]