Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

O goleiro Bruno, o amigo Luiz Henrique Romão – o Macarrão, o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos – o Bola, Sérgio Rosa Sales e Elenilson Vitor da Silva chegaram ao Fórum em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, às 10h desta quarta-feira (6). A Justiça ouve 21 testemunhas do processo sobre o desaparecimento e morte de Eliza Samudio.

Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais, duas pessoas foram arroladas pela acusação, três pela acusação e pela defesa e 16 somente pela defesa.

O advogado Frederico Franco, que defende Elenilson, disse que todas as testemunhas deles são importantes para o caso, mas só uma testemunha será usada na defesa de seu cliente.

Cleiton Gonçalves da Silva, que dirigia a Range Rover quando ela foi apreendida em Minas por excesso de velocidade, é uma testemunha de acusação que será usada pela promotoria. A mulher dele também deve ser ouvida.

De acordo com o advogado de Bruno, Ércio Quaresma, o goleiro não será ouvido nesta quarta-feira (6). Ele deve falar ao juiz no dia 14 de outubro. O advogado disse que acha importante que os acusados acompanhem essas audiências de tesemunhas, mas, segundo ele, a testemunha pode pedir que os réus sejam retirados da sala.

Entenda o caso

O goleiro Bruno é réu no processo que investiga a morte de Eliza Samudio. A Justiça de Minas Gerais aceitou a denúncia do Ministério Público contra Bruno e outros oito envolvidos no desaparecimento e morte de Eliza. Fernanda Gomes de Castro, namorada de Bruno, foi presa em Minas Gerais.

O goleiro; Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão; Sérgio Rosa Sales; Dayanne Souza; Elenilson Vítor da Silva; Flávio Caetano; Wemerson Marques; e Fernanda Gomes de Castro vão responder na Justiça por homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado, ocultação de cadáver e corrupção de menor. Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, é o único que responderá por dois crimes. Bola foi denunciado por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Todos os acusados negam o crime. As penas podem ultrapassar 30 anos.

A pedido do Ministério Público, a Justiça decretou a prisão preventiva de todos os acusados. Com essa medida, eles devem permanecer na cadeia até o fim do julgamento. Em 2009, Eliza teve um relacionamento com o goleiro Bruno, engravidou e afirmou que o pai de seu filho é o atleta. O bebê nasceu no início de 2010 e, agora, está com a mãe da jovem, em Mato Grosso do Sul.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]