Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Cadelinha que passeia pela cidade | Reprodução/Facebook Fabíola Brito
Cadelinha que passeia pela cidade| Foto: Reprodução/Facebook Fabíola Brito

Já pensou andar em um Interbairros II e ter como vizinho de banco um cachorro? Pois aconteceu em Curitiba: aparentemente, uma cadela estava furando catracas e andando de ônibus de graça na capital. Mas a história, na realidade, era um pouco diferente. Quem desvendou a situação foi a protetora de animais Fabíola Brito, que passou por três terminais de ônibus na terça-feira (14) tentando resgatar o cachorro, e conseguiu descobrir que a cadela era moradora do Terminal Capão da Imbuia.

Veja fotos da cadelinha no transporte público de Curitiba

A saga de Fabíola começou quando uma colega de trabalho contou ter visto um homem, que aparentava estar sob efeito de drogas, pegando o cachorro do terminal Capão da Imbuia e colocando-o dentro do ônibus Interbairros II. Segundo Fabíola, a colega contou que quando o homem desceu do veículo, acabou deixando o cão para trás.

Quando ouviu essa história, a protetora, que já se envolveu em resgates de animais outras vezes, fez um post no Facebook sobre o caso, perguntando se alguém havia visto o cachorro. “Eu mesma, que moro aqui há um ano, não sei andar de ônibus direito. Imagina um cachorro”, comentou Fabíola.

Compartilhada centenas de vezes, a postagem chegou até alguém, que mandou uma foto do cão no terminal do bairro Hauer. Fabíola decidiu ir até lá resgatar o cachorro – que descobriu ser fêmea e ‘batizou’ de “Menina”.

O trajeto

Ao chegar no Hauer, Menina já não estava mais lá. Fabíola teve de pedir pistas para os funcionários do local, que a levaram até o terminal do Boqueirão. “Quando eu cheguei no Boqueirão, não encontrei a cadela logo de cara. Mas, de repente, a vi descendo de um ônibus que vinha do terminal do Carmo. Ou seja, ela já tinha ido para outro lugar e voltado”, contou.

Menina dormindo em seu novo lar, depois de ser adotada.Facebook Fabíola Brito

Depois de todo o passeio, a protetora decidiu levar Menina “de volta para casa”, e as duas foram para o Capão da Imbuia. Durante o percurso, Fabíola percebeu que a cadela estava familiarizada com passeios no transporte público da cidade, pois “entrou no ônibus sozinha, e foi direto para a frente do veículo, onde ficou como se estivesse observando a paisagem”.

A protetora conta que depois de deixar Menina no Capão da Imbuia, entrou em um ônibus para ir para o trabalho. Quando o veículo estava saindo do local, viu que a cadela estava entrando no Inter II.

Final feliz

Em outra postagem no Facebook, Fabíola decidiu narrar a história, compartilhando fotos dos momentos com Menina e pedindo que alguém a adotasse. A resposta não tardou em aparecer, e a cadela logo conseguiu um novo lar.

O cobrador Jociley Gomes de Lima, que trabalha no terminal Capão da Imbuia, conta que é comum que cachorros que moram em terminais peguem ônibus. “Eu já vi vários cachorros fazendo isso de entrar no veículo. E eles sempre voltam”, explica.

De acordo com Lima, os cachorros recebem água, ração e inclusive têm caminhas e cobertores, doados por funcionários e passageiros que frequentam o local.

Colaborou: Cecília Tümler

  • Fabíola Brito, protetora de animais, e a cadelinha que chamou de “Menina”, em uma estação tubo de Curitiba.
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]