Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Reprodução Youtube/
| Foto: Reprodução Youtube/

O cantor Tico Santa Cruz, da banda Detonautas, foi expulso de um avião da Gol que o levaria para Maringá, no Noroeste do Paraná. O caso ocorreu nesta quarta-feira (13) e ganhou repercussão nas redes sociais após a divulgação de vídeos gravados por clientes que aguardavam a partida já no interior do aeronave. O cantor participa ainda nesta quarta de uma palestra a favor do governo do PT na Associação dos Funcionários da UEM (AFUEM). Ele também visitaria uma ONG, compromisso com o qual não pode cumprir porque precisou viajar em um voo posterior.

Segundo vídeo gravado pelo próprio cantor e disponibilizado em sua página no Facebook, o tumulto começou quando ele decidiu ocupar um assento “conforto” (com mais espaço entre as poltronas) que ficou vazio mesmo após o fim do embarque. No entanto, uma comissária de bordo pediu para que Tico voltasse para a poltrona original, o que ele recusou. Teve então início a discussão, que atrasou em mais de meia hora a decolagem do voo.

“Eu esperei que todas as pessoas embarcassem, até o último, para não pegar o assento de ninguém”, explica o cantor no vídeo. Ele relata ainda que tentou argumentar para ficar na poltrona, dizendo que a prática de vendas de assentos iguais por preços diferentes é ilegal. Em um vídeo gravado por outro passageiro, é possível ouvir a irritação de pessoas com o atraso da decolagem.

“Não estava prejudicando outra pessoa, (...) mas a tripulação insistiu em me tirar do voo”, relata o cantor. Ele foi retirado da aeronave por policiais federais, por orientação do comandante do voo.

Também no vídeo, Tico disse que vai processar a empresa e desmentiu que tenha sofrido qualquer agressão por causa de seu posicionamento político. “Em momento algum fui agredido por causa das minhas posições políticas. As pessoas estavam irritadas por causa da dificuldade de sair”.

Gol defende orientação

Em nota, a Gol explica que as sete primeiras fileiras de suas aeronaves são​ diferenciadas em relação aos demais assentos, “pois oferecem espaço ainda maior entre as poltronas e reclinação do assento”. As poltronas estão identificadas no mapa da aeronave com cores diferenciadas e podem ser adquiridas por um preço adicional nos canais de venda da companhia ou no momento do check-in.

Sobre o incidente, a Gol explica que “a tripulação do voo orientou o passageiro e pediu que retornasse ao seu ​lugar, já que não havia adquirido esse produto”. Como Tico se recusou a voltar, a Polícia Federal foi então acionada, segundo a empresa, que reforçou não fazer “distinção entre passageiros” e ​praticar as mesmas normas ​​para todos os clientes.

A reportagem tentou entrar em contato com a assessoria de imprensa do cantor para saber se ele iria conseguir cumprir com os demais compromissos agendado em Maringá, mas não conseguiu localizar o responsável.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]