i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Curitiba

Casal de estudantes paulistas acusa Guarda Municipal de tortura

  • PorGazeta do Povo
  • 11/10/2008 11:22

Violência teria durado mais de quatro horas, segundo os estudantes

A Corregedoria da Polícia Civil do Paraná irá investigar a denúncia de um casal de estudantes do interior de São Paulo que afirma que foi vítima de agressão por parte de membros da Guarda Municipal de Curitiba e da própria Polícia Civil. Eles dizem que foram torturados e humilhados pelos guardas e que, quando foram levados a uma delegacia, também sofreram agressões de um policial.

Segundo relato prestado pelo casal ao telejornal Paraná TV 1ª edição, era noite de domingo (5) quando os dois, que têm medo de mostrar o rosto, saíram para caminhar pela cidade. Eles teriam sido vítimas de uma tentativa de assalto, e pedido ajuda para um guarda municipal. "Eu, por natureza, de onde venho, me referi ao guarda, no desespero, como 'senhor guardinha, senhor guardinha'. Dali ele já começou: 'O que? Senhor guardinha? Guardinha?'", explicou o rapaz. "Eles [disseram] 'não, não é guardinha. Vocês vão aprender a falar'", prosseguiu a mulher.

O casal de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, está em Curitiba há poucos meses. A moça mostrou roupas totalmente rasgadas, que seriam as usadas na noite da agressão. Segundo eles, os estragos seriam resultado de mais de quatro horas de tortura. Depois de serem agredidos na rua, ambos teriam sido levados para a sede da Guarda Municipal, e, lá, teriam sofrido as piores agressões. "Ali, algemado, tomava coronhada na cara, na cabeça...", disse a vítima. A supervisora da Guarda Municipal também teria participado da tortura. "Apanhei muito, eu achei que ia morrer. Achei que não ia sair dali viva".

Os dois disseram que foram levados pelos guardas para o 8º Distrito Policial, no Portão. Lá, teria havido ainda mais violência. "O policial me pegou e bateu com muita força", afirmou o estudante. Na delegacia, os mesmos guardas, que, segundo o casal, comandaram as agressões, registraram boletim de ocorrência contra os estudantes paulistas por desacato à autoridade.

O rapaz e a esposa também ingressaram com denúncia contra os guardas, por tortura, e fizeram exames de lesões corporais. "A autoridade policial está encaminhando todo o procedimento à corregedoria da Polícia Civil. Com certeza a corregedoria vai designar um delegado especial para conduzir a instauração do inquérito policial", explicou Adolfo Rosevicz Filho, superintendente do 1º Distrito Policial, ao Paraná TV.

Procurada pelo Paraná TV, a prefeitura de Curitiba disse que ainda não havia recebido nenhuma denúncia contra a Guarda Municipal.

"Eu estou apavorada, estou com medo de dormir a noite", disse a jovem que teria sido vítima dos guardas. "Eu só quero uma coisa, só quero Justiça", finalizou o rapaz.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    Fim dos comentários.