i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
SP

Caso não chova, atual reserva de água do Cantareira acaba em 21 de novembro

Governo de São Paulo vai incentivar a construção de poços

  • PorAgência O Globo
  • 25/09/2014 20:28

A atual reserva do Sistema Cantareira, que abastece 6,5 milhões de pessoas na Grande São Paulo, deve durar, caso não chova, por mais 52 dias, até 21 de novembro. A afirmação foi feita nesta quinta-feira pelo secretário estadual de Recursos Hídricos, Mauro Arce. Ele disse ainda que o governo estadual vai incentivar a construção de poços.

"Continuando sem chover, o atual volume do Cantareira nos garantiria mais 52 dias, até 21 de novembro. No Alto Tietê, dura mais, daria 88 dias. Nós temos o segundo volume (do Cantareira) que estamos preparando para usar e só o faremos se houver necessidade", afirmou Arce.

O Alto Tietê, segundo maior reservatório do estado, abastece 4,5 milhões de paulistas e nesta quinta-feira opera com 12,1% da sua capacidade. Já o Cantareira, contando o volume morto, tem 7,4% doe volume armazenado.

Na terça-feira, o diretor-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu, disse que as medidas tomadas pelo governo paulista para evitar o racionamento de água na região metropolitana de São Paulo podem comprometer o abastecimento de água no ano que vem.

Desde maio, São Paulo utiliza o chamado volume morto do Cantareira, uma quantidade de água que está abaixo dos canos de distribuição.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.