Foi presa na manhã desta quarta-feira (4) uma quadrilha de traficantes responsável por negociar de 5 a 10 quilos de maconha e crack por semana, equivalente a até R$ 300 mil se chegassem ao usuário, segundo a polícia. A área de atuação da quadrilha ia da região de Curitiba até o Litoral do estado, afirmou o delegado Rodrigo Brown.

As prisões, realizadas pela Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), se deram simultaneamente em Piraquara e Fazenda Rio Grande, cidades da região de Curitiba. Foram presos Juarez Arnold de Paula, 47 anos, Izabete Shinda, 36, Welinton Schimidt Santos, 18 e Anderson Gonçalves de Lima, 30.

Brown anunciou que os acusados serão autuados por tráfico de drogas, formação de quadrilha, associação para o tráfico e porte ilegal de armas.

"As investigações se iniciaram depois que prendemos uma garota que ia para o litoral com uma quantidade de maconha", afirmou Brown. Ele se refere a prisão de Jaqueline Souza Alves, 26, que se deu em janeiro. Jaqueline seria um "vaporzinho", gíria no tráfico para quem é responsável por alimentar os pontos de distribuição da droga.

No momento das prisões, a polícia encontrou 5,3 quilos de maconha, 120 gramas de crack - sendo que 25 pedras de crack estavam embaladas e prontas para o consumo -, uma balança de precisão, dois revólveres calibre 38, um revólver Magnum calibre 357 e uma pistola 380.

A polícia agora passa a investigar a procedência das armas. "Acreditamos que eles estejam envolvidos em vários homicídios", declarou o delegado Brown.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]