i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Intolerância ideológica

CNE aprova criação de grupo para discutir liberdade de pensamento na educação brasileira

  • Por Gabriel Rodrigo Sestrem
  • 26/01/2021 18:26
Gabriel Giannattasio
Gabriel Giannattasio, membro do CNE e professor do Departamento de História da UEL.| Foto: Arquivo pessoal

Em reunião pública do Conselho Pleno realizada na manhã desta terça-feira (26), membros do Conselho Nacional de Educação (CNE) – órgão de assessoramento do governo federal que serve para avaliar políticas públicas na área educacional – aprovaram, por 20 votos favoráveis e dois contrários, a criação de um grupo de estudos sobre o tema “Liberdade e responsabilidade acadêmica e diversidade de pensamento na educação brasileira”.

A proposta inicial apresentada pelo conselheiro Gabriel Giannattasio – professor do Departamento de História da Universidade Estadual de Londrina (UEL) – era a constituição de uma comissão de liberdade acadêmica dentro do CNE. A proposta, entretanto, não foi aprovada pelos conselheiros, e a alternativa encontrada foi a criação do grupo de estudos sobre o tema.

Gabriel Giannattasio, que se dedica ao tema da intolerância ideológica nas universidades, afirmou em entrevista à Gazeta do Povo que tanto na educação básica quanto na superior há uma hegemonia de certo modo de pensar e que tratar do assunto no CNE é uma forma de combater o problema do discurso uníssono na academia e no ensino básico.

Críticas à proposta

Em sua declaração para propor o estabelecimento da comissão, Giannattasio sustentou que “o Conselho Nacional de Educação [CNE], enquanto órgão de Estado, é obrigado a se pronunciar sobre quaisquer questões que envolvam possível peia [obstáculo] à efetivação de imperativo constitucional sobre Educação, no interesse direto das pessoas” e que “a diversidade de concepções ideológicas e pedagógicas é garantia constitucional expressamente prevista no artigo 206, III da Constituição Federal: ‘Art. 206. O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: [...] III – pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas, e coexistência de instituições públicas e privadas de ensino’”.

O conselheiro argumentou também que os princípios expressos na Constituição precisam ser constantemente velados, “seja por medidas complementares, seja pela vigilância da sociedade e de suas instituições ou, ainda, pelo poder judiciário”, e afirmou que o tema proposto se encontra presente em documentos como a Lei de Diretrizes e Bases da Educação [LDB] e a Base Nacional Comum Curricular [BNCC].

Ao final de sua sustentação, o conselheiro propôs a criação de comissão bicameral para realizar estudos, produzir documentos orientadores e emitir parecer a respeito do tema “liberdade/responsabilidade acadêmica e diversidade de pensamento na educação brasileira”.

Diante da proposta da constituição da comissão, apenas os conselheiros Tiago Tondinelli e Aristides Cimadon se manifestaram de forma favorável à proposição, enquanto nove membros se manifestaram de forma contrária à comissão. Alguns conselheiros, como Mozart Ramos e Maurício Costa Romão, afirmaram que seriam favoráveis à proposta somente se não houvesse um documento final com um parecer após os estudos realizados pela comissão. “Essa questão de fazer estudos, uma comissão pequenininha, tudo bem. Agora fazer uma comissão que, pelo nosso regimento, o CNE terá que se pronunciar em forma de parecer, acho que não deve ser o caminho”, afirmou Romão.

Há, no entanto, um impeditivo para isso, já que de acordo com o regimento do Conselho, é indispensável a realização de um parecer ao final de uma comissão constituída. A solução apontada por outros membros do Conselho foi a criação de um grupo de estudos sobre o tema apresentado. Diante da proposta, 20 conselheiros votaram de forma favorável à criação do grupo – Ivan Claudio Pereira Siqueira, professor na Escola de Comunicações e Artes da USP (ECA-USP), e Amábile Pacios, vice-presidente da Federação Nacional das Escolas Particulares (FENEP), votaram contra.

Diagnóstico de clima ideológico nas universidades

Em entrevista à Gazeta do Povo após a votação da proposta que deu origem ao grupo de estudos, Giannattasio afirmou que o primeiro passo será criar instrumentos de medição de clima ideológico nas academias. “O pesquisador Pedro Damazio Franco, que já esteve em reunião do CNE apresentando toda essa temática a partir de uma bibliografia americana, já adaptou esses instrumentos de medição para a realidade do Brasil. Então, já temos proposições iniciais de instrumentos que sejam capazes de avaliar este clima na educação brasileira e imagino que esse deva ser um dos temas iniciais desse grupo”.

O conselheiro destaca que os estudos relacionados à intolerância ideológica e liberdade de pensamento abrangerão toda a educação brasileira, não somente o ensino superior. “É um grupo de estudos de toda a educação brasileira. Vale a pena investigar, por exemplo, o diagnóstico do livro didático. Temos estudos que indicam que os livros, na sua grande maioria, adotam certo viés interpretativo na área de Humanas. Isso se confirma? Caso se confirme, o que fazer? Quais os instrumentos a serem adotados na avaliação do livro didático?”, observa o conselheiro.

8 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 8 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • A

    Adoriane Turatto

    ± 0 minutos

    Precisamos do pluralismo de idéias, sem censuras! Qualquer pessoa precisa ter a liberdade de se expressar na sociedade onde vivemos, inclusive nas escolas e universidades.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • D

      DENISSON HONORIO DA SILVA

      ± 3 horas

      Fui também pessimista se alguma coisa poderia acontecer para impedir a ideoligizacão majoriatariamente de esquerda nas escolas. Uma vez tive o trabalho de avaliar o impacto acadêmico de Raymond Aron e Jose Guilherme Merquior nas universidades. Pasmem, senhores. Os trabalhos eram todos para desqualificá-los e número altamente reduzidos. Não posso afirmar com certeza mesmo porque não é minha área, mas tudo leva crer que há uma segregação de ideias ditas conservadoras. Que quase podem ser consideradas uma heresia. Quer dizer apenas as ideias comunistas são inteligentes e capazes de entender o mundo? Quem disse isso? Que dogma religioso é esse?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • L

        Luciano Borges de Santana

        ± 4 horas

        Em uma reportagem anterior da Gazeta que havia tratado desta iniciativa, já tinha me colocado de forma pessimista, não pela proposta em si, mas pela ojeriza que muitos grupos de poder na educação possuem em relação a ela. Vejam, que a proposta de criação de uma Comissão de Liberdade dentro do Conselho caiu por terra, justamente porque uma Comissão mais densa poderia publicar alguma resolução ou recomendação para a educação nacional e isso seria visto negativamente no país inteiro. A saída foi criar um grupo de estudos, que vai constatar o óbvio, mas sem muita força para levar mudanças à educação do país.

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • .

          .

          ± 5 horas

          Excelente!

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • J

            José Luiz Almeida Costa

            ± 5 horas

            Na educação, a liberdade de pensamento significa concordar com o professor.

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            • A

              Antônio Márcio

              ± 5 horas

              Boa iniciativa. É preciso perseverar contra o pensamento (socialista) único vigente no nosso sistema educacional.

              Denunciar abuso

              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

              Qual é o problema nesse comentário?

              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

              Confira os Termos de Uso

              • G

                Gleyson Nascimento

                ± 6 horas

                Boa iniciativa, e importante também. Não será surpresa se os 'defensores' da liberdade de expressão, na internet ou em cargos públicos, gritarem contra esse ato de 'censura', 'vigilância", etc

                Denunciar abuso

                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                Qual é o problema nesse comentário?

                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                Confira os Termos de Uso

                • M

                  Marco Polo

                  ± 6 horas

                  Na época da elaboração da Constituição (1988), as ideias e ideais comunistas não eram bem vistos, embora muito praticadas no meio acadêmico; daí porque, para os marginais, havia todo sentido exigir a pluralidade e equidade de ideias: =>” Art. 206. O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: [...] III – pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas, e coexistência de instituições públicas e privadas de ensino’”.”<=. Atualmente, nossas escolas de todos níveis foram tomadas por militantes transvestidos de professores, que inverteram e impedem qualquer manifestação contrária ao comunismo, e fazem de tudo para obstaculizar tudo que possa ser diferente do que pensam; triste!

                  Denunciar abuso

                  A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                  Qual é o problema nesse comentário?

                  Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                  Confira os Termos de Uso

                  Fim dos comentários.