i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Dante Mendonça

Madame Champagnat e o Anjo do Senhor

  • Por
  • 25/12/2014 21:08

Às vésperas do Natal, o Anjo do Senhor apareceu para Madame Champagnat: "Trago uma boa nova à sua família: na noite de Natal o Menino Jesus virá abençoar sua casa!"

Já com as malas prontas para a temporada em Miami, Madame Champagnat ficou estupefata. Passava longe de sua cabecinha que um milagre assim benfazejo pudesse recair sobre ela. Encomendou o jantar, harmonizou dos melhores e mais caros vinhos da adega e tratou de convidar a família e os bons amigos para a visita do Nazareno.

Et le champagne coulait a flôts – diria o poeta Verlaine à Madame Champagnat, que ainda apreciava a primeira rolha quando tocaram a campainha. Era uma índia com roupas miseráveis, daquelas famílias caingangues abrigadas no Viaduto do Capanema: "Dona, um ajutório!", implorou a pobre coitada."Tenho sede e fome de qualquer coisa".

"Não tenho pão velho!" – retorquiu a Madame. "Sinto muito, mas agora estou atarefada com a ceia de Natal!" A miserável pegou a garrafinha de água mineral que lhe foi oferecida e sumiu. Não deu 15 minutos, foi a vez de um homem apertar a campainha: "Não tenho pão velho!" – repetiu a Madame, antes de aquele senhor com uma caixa de ferramentas se apresentar: "Marceneiro, eletricista, jardineiro, reparos em geral. Preciso de ajuda para o Natal, minha senhora!" Ocupadíssima com a prataria, cristais e porcelanas, Madame levou as mãos à cintura: "Onde já se viu incomodar as pessoas numa hora dessa? Passe bem!" – e bateu a porta.

Na lida dos acepipes, alguém lá fora bateu palmas. "Jesus! Será que agora seria Jesus?" – pensou a Madame, correndo a abrir a porta. Era um menino, mas não era o Menino Jesus. Era um menino de rua: "Senhora, tem um pouco de comida?" "Oh, céus! Volte amanhã que eu lhe dou um panetone!".

Finalmente a ceia estava posta, com a família e amigos em volta. Entrementes, as horas iam passando e o Menino Jesus não aparecia. Quando o champanhe deu vez ao sono, cansados de tanto esperar, os convidados foram embora e a melancolia serviu de sobremesa.

De madrugada, Madame Champagnat acordou sobressaltada no sofá da sala. Para seu espanto, viu que estava junto dela o Papai Noel: "Papai Noel? O que você está fazendo aqui?", gritou. "Eu aguardei a noite inteira e Jesus não apareceu. Será que algum anjo maligno mentiu para mim?"

"Não foi o Anjo do Senhor que mentiu!" – respondeu o Papai Noel. "Foi você que não teve olhos para ver. Jesus esteve aqui em sua casa três vezes: na pessoa de uma índia, na pessoa de um marceneiro e na pessoa do menino de rua".

"E agora, o que vai ser do meu Natal?" – perguntou Madame Champagnat. Papai Noel deu uma boa risada – "Rôu-rôu-rôu-rôu!" –, montou no seu trenó e se despediu: "Nos veremos no próximo Natal. Em Miami, quem sabe?"

Dê sua opiniãoO que você achou da coluna de hoje? Deixe seu comentário e participe do debate.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.