i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Entrelinhas

Custo dobrado com a saúde

  • PorAndréa MOrais - entrelinhas@gazetadopovo.com.br
  • 21/03/2013 21:01
 |
| Foto:

Uma prática está se tornando cada vez mais comum nos consultórios médicos: o paciente liga para marcar uma consulta por plano de saúde e ouve da secretária que "a primeira consulta, só se for particular". A orientação nesses casos é denunciar o médico à operadora do plano. Mas muita gente acaba não fazendo isso por falta de opção.

Nesta semana, por exemplo, uma mãe procurou um endocrinologista com especialização em pediatria e, ao receber a informação de que não poderia fazer a primeira consulta pelo seu plano, ficou revoltada e disse que denunciaria o profissional. Antes de cumprir a promessa, porém, foi em busca de outro médico do plano. Havia mais dois na lista: um tinha se descredenciado e o outro só tinha consulta para setembro. Sem saída, aceitou pagar a consulta.

Em outro consultório, esse de ginecologia, após quase dois meses de espera pela consulta, outra paciente descobriu que teria que pagar uma taxa de R$ 10 (além do valor pago pelo plano), para cobrir os custos dos materiais usados durante a consulta (luvas e potinho, no caso). É o fim da picada!

O bolo da festa

Como já virou tradição, um bolo gigante será distribuído aos curitibanos na próxima semana, quando Curitiba completa 320 anos. O bolo voltará a ser servido na Praça Santos Andrade – nos anos anteriores, a entrega foi no Parque Barigui. A distribuição, coordenada pelo Sindicato da Panificação, será na quarta-feira, a partir das 16h30.

Tudo a R$ 1

Roupas, sapatos e acessórios usados poderão ser comprados amanhã no bazar beneficente que a Socorro dos Necessitados promove em sua sede no Tarumã, entre 9 e 16 horas. Tudo será vendido a R$ 1. Haverá também a oferta de produtos novos: roupas de cama, mesa e banho doadas à instituição e que serão vendidas a preços acessíveis. A renda do bazar será revertida para a manutenção do Lar dos Idosos Recanto do Tarumâ, que mantém 107 moradores. Mais informações pelo telefone 3266-3813.

Dor em foco

O neurocirurgião Manoel Jacobsen Teixeira, diretor-técnico da Divisão de Neurocirurgia Funcional do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de São Paulo, inicia hoje na Faculdade Inspirar um curso sobre Procedimentos Invasivos e Abordagem Cirúrgica em Dor, que entre outros aspectos abordará porque, mesmo após a cirurgia, alguns pacientes continuam sentindo dores. O curso vai até domingo. Informações e inscrições 0800-602-2828 ou www.inspirar.com.br.

Sete anos de presente

Ganhar um coelhinho na Páscoa é um presente que agrada a qualquer criança – afinal, como resistir a tanta fofura? Por isso é comum o aumento do comércio de coelhos nesta época do ano. Mas, antes de fazer a aquisição, os pais devem pensar duas vezes. Segundo o médico veterinário George Ortmeier Velastín, um coelho vive entre sete e dez anos e é bem provável que sobrem para os pais os cuidados com o bichinho.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    Fim dos comentários.