i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Veríssimo

O humor do poeta

  • PorAgência O Globo
  • 26/01/2013 21:03
 |
| Foto:

"O fantasma é um exibicionista póstumo."

"Pertencer a uma escola poética é o mesmo que ser condenado à prisão perpétua."

"Os verdadeiros crimes passionais são os sonetos de amor."

"A coisa mais solitária que existe é um solo de flauta."

"A verdadeira couve-flor é a hortênsia."

"A modéstia é a vaidade escondida atrás da porta."

"A vista de um veleiro em alto mar remoça a gente no mínimo uns 150 anos."

"Atenção! O luar está filmando."

"A alma é essa coisa que nos pergunta se a alma existe."

" Os clássicos escreviam tão bem porque não tinham os clássicos para atrapalhar."

"‘Le penseur’ do Rodin... Coitado. Nunca se viu ninguém fazendo tanta força para pensar."

"A natureza é barroca, o sonho é barroco... O que teriam vindo fazer neste mundo as colunas gregas?"

"O mais triste da arquitetura moderna é a resistência dos seus materiais."

"O crítico é um camarada que contorna uma tapeçaria e vai olhá-la pelo lado avesso."

"A expressão mais idiota que existe é ‘adeusinho’."

"Não sou mais que um poeta lírico, / Nada sei do vasto mundo... / Viva o amor que eu te dedico, / Viva Dom Pedro Segundo!"

As frases e os pensamentos acima não são nem do Millôr Fernandes nem do Ivan Lessa; são de outro humorista brasileiro que também já morreu: Mario Quintana. Estão no livro Do caderno H, que a Alfaguara está publicando junto com toda a obra poética do Quintana, uma compilação do que ele escreveu, durante anos, na sua seção do Correio do Povo de Porto Alegre. Quem já gostava do Quintana poeta vai gostar de descobrir que ele era um dos melhores humoristas do seu tempo.

Eu também

A Alice é um encanto, mas não posso deixar que o Zuenir Ventura monopolize o gênero crônica-vovô. Também tenho histórias para contar da Lucinda. Outro dia, o pai e a mãe dela brigavam com ela (alguma ela tinha feito) e ela respondia à altura – e terminou, dramaticamente, perguntando aos céus: "Onde estão meus verdadeiros pais?!"

Veja também
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.