i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Aquecimento global

Construções deverão ser mais resistentes

  • PorJorge Olavo
  • 11/07/2010 21:06

Cenas de municípios arrasados por enxurradas e terremotos fazem com que questionemos se a cidade em que moramos está protegida de desastres como esses. Um aspecto observado é certo. O clima não faz vítimas de acordo com a classe social. Todos nós estamos vulneráveis a tragédias ambientais. "O efeito climático é bastante democrático", resume o climatologista José Marengo.

Com episódios de chuvas torrenciais mais frequentes, o especialista alerta que grandes cidades também estão suscetíveis a inundações por estarem completamente impermeabilizadas por construções que impedem a vazão necessária das águas. O engenheiro civil Alexandre Guetter, professor do Departamento de Hidráulica e Saneamento da Universidade Federal do Paraná (UFPR), explica que as estruturas são projetadas para um determinado risco. Ou seja, existe um limite de situações extremas a que as estruturas devem ser submetidas em um certo período de tempo.

Para calcular essa resistência, um dos pontos considerados pelos engenheiros são estatísticas de chuvas. "As estatísticas que valiam no passado deveriam ser revistas hoje. O cenário com que nos deparamos hoje é diferente do que existia em 1960", avalia Guetter. Ele sugere que o planejamento de futuras obras desconsidere dados antigos de chuvas. "É desejado que essas estatísticas sejam revisadas para cima."

Entretanto, Curitiba está em uma posição mais segura. "Os riscos e as políticas urbanas em Curitiba são bastante consolidados", afirma Guetter. Para ele, a criação de parques com lagos que servem como válvula de controle das chuvas é uma medida positiva que deveria ser estendida a outros municípios da região metropolitana.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.