i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
meio ambiente

Contaminação ameaça terreno de possível estádio da Copa em SP

Relatório da Cetesb aponta contaminação por metais pesados. Obras no local estão proibidas pelo governo do estado

  • PorG1/Globo.com
  • 14/07/2010 06:29

O terreno de Pirituba onde a cúpula da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) cogita construir o estádio de abertura da Copa de 2014 em São Paulo está interditado para obras. O motivo é uma contaminação por metais pesados no solo e no lençol freático. O local passa por processo de "recuperação ambiental". É o que informa o último relatório da Companhia de Tecnologia Ambiental (Cetesb), divulgado em novembro, com a relação das áreas contaminadas no estado.

Qualquer escavação na área está proibida pelo governo do estado. Ambientalistas que tiveram acesso ao relatório acreditam que a descontaminação da área levará ao menos três anos, o que poderia inviabilizar o projeto da nova arena e atrasar a construção do centro de convenções planejado pela Prefeitura.

O poder municipal confirma o problema, mas o secretário de Controle Urbano de São Paulo, Orlando Almeida, informou ser possível fazer a descontaminação do terreno em um ano. "Não havia indústrias dentro da área. O que ocorria no local era a queima de pneus velhos", argumentou. Ele não soube estimar o tamanho da área contaminada. "Podem ser 2 mil metros ou 50 mil metros. Mas tenho a absoluta certeza de que (a contaminação) não atinge 1% de toda a área", calcula.

Almeida disse ainda que o lençol freático só está contaminado, segundo a Cetesb, por causa da terra por cima. "O terreno é muito grande, dá para construir hotel, estádio, centro de convenções. E a capital precisa de uma arena para shows e eventos."

A área - que pertence à Anastácio Empreendimentos, uma das empresas da Companhia City de Desenvolvimento - tem 4,9 milhões de metros quadrados, o equivalente a três Parques do Ibirapuera, e tinha como vizinhos, até o fim dos anos 1960, sedes de indústrias metalúrgicas e galpões de fabricantes de óleos graxos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.