i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Seqüelas do seqüestro

Coronel atribui tragédia a Lindemberg

Invasão do cativeiro só ocorreria em último caso, diz comandante do Policiamento de Choque da PM. Tropa teria sido recebida a balas

  • PorSão Paulo - Agência Estado
  • 18/10/2008 22:03

O coronel Eduardo Félix de Oliveira, comandante-geral do Policiamento de Choque da Polícia Militar de São Paulo, disse ontem que o resultado final do seqüestro foi provocado pelo ajudante de produção Lindemberg Fernandes Alves, de 22 anos, que manteve a ex-namorada, Eloá Cristina Pimentel da Silva, de 15 anos, refém por quase cinco dias num apartamento em Santo André, no ABC paulista.

"A invasão só seria em último caso. Nós fizemos de tudo para preservar a vida das três pessoas que estavam no apartamento. Lindemberg apresentou em todo o tempo picos de alternâncias de humor. Quem provocou esse desfecho de invasão foi o responsável pela crise", afirmou o coronel.

Sobre a volta de Nayara Vieira ao cativeiro, disse que ela estava calma. "Inclusive a mãe dela, no momento em que a garota entrava novamente no prédio, disse: ‘Não sei se bato nela ou se choro’. Eu tenho filhos e se fosse necessário eu colocaria meu próprio filho no cativeiro", disse.

Teriam sido 5 tiros disparados nos momentos finais do seqüestro. Um dos tiros parou na parede, dois atingiram Eloá e outro, Nayara. "Ele deu o primeiro tiro. No momento da entrada os policiais, ele descarregou a arma e atirou inclusive contra a nossa equipe. Eu confio cem por cento na minha equipe; eles não invadiriam o apartamento se não tivesse ocorrido o disparo".

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.