i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Santo André

"Ela está confusa", diz comandante da PM sobre Nayara

Comandante da Tropa de Choque diz que laudos serão decisivos. Para ele, críticas são feitas por pessoas que querem se "vender na mídia"

  • PorG1/Globo.com
  • 22/10/2008 20:57

O comandante da Tropa de Choque de São Paulo, Eduardo Félix, reafirmou na noite desta quarta-feira (22) que confia na versão de sua tropa de que houve tiro antes da invasão do apartamento no ABC e colocou dúvidas sobre a versão de Nayara Silva, adolescente que estava no local. "Ela é uma vítima que estava em um local de crise. Está confusa", disse.

O comandante fez a afirmação após a divulgação de detalhes do depoimento de Nayara, realizado nesta quarta em um hospital de Santo André. O conteúdo contradiz a versão do Gate e de vizinhos ouvidos pela polícia. "O Gate [Grupo de Ações Táticas Especiais] é altamente qualificado e tem a minha confiança. A ação foi provocada pelo disparo. Nós não tínhamos a intenção de invadir por uma questão técnica: não sabíamos onde estavam as reféns", declarou.

Ainda sobre a versão de Nayara, ele diz que agora aguarda provas técnicas. "Ela estava em um local de crise, existem laudos que irão esclarecer toda a situação." E acrescentou. "Não seria leviano de questionar o depoimento dela. Respeito o depoimento da Nayara, assim como respeito o depoimento dos policiais", afirmou.

O comandante da Tropa de Choque ainda aproveitou para refutar as críticas à ação da polícia. Para Felix, "algumas pessoas estão aproveitando para se vender na mídia".

Não houve tiro

A jovem declarou à polícia que fez nenhum disparo no apartamento onde era mantida refém minutos antes da invasão, de acordo com o delegado seccional de Santo André, Luiz Carlos dos Santos.

A jovem relatou que Lindemberg fez um disparo em direção ao teto entre 15h e 16h de sexta, em "um momento de nervosismo", ainda segundo o delegado. Depois da invasão, ela se recorda de dois tiros, mas não relatou nenhum outro ocorrido instantes da ação policial. "Hoje, a Nayara afirmou taxativamente que não houve esse tiro", disse o delegado seccional.

O coronel Eliseu Leite de Moraes, da Polícia Militar, disse que todas as circunstâncias da invasão serão apuradas. "Isso [o tiro] por si só não é o fator primordial. O que determina uma invasão é um risco insuportável e uma possibilidade de sucesso. A finalidade da PM é trazer a verdade e nós também queremos saber o que exatamente aconteceu", afirmou.

Nayara foi ouvida pelo delegado responsável pelo caso, Sérgio Luditza, e pelo promotor Antonio Nobre Folgado. Psicólogos, integrantes do Conselho Tutelar, a mãe da jovem e o advogado contratado pela família, Ângelo Carbone, acompanharam o depoimento.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.