| Roberto Custódio/Arquivo/Jornal de Londrina
| Foto: Roberto Custódio/Arquivo/Jornal de Londrina

Duas pessoas morreram vítimas de meningite bacteriana em menos de uma semana em Londrina,no Norte do Paraná. Na sexta-feira (17), um menino de quatro anos morreu no Hospital Universitário (HU). No domingo (19), a vítima foi um homem de 49 anos, que estava internado no Hospital Santa Casa.

Números de casos no Paraná

2014

Meningite bacteriana : 59 notificações; 11 óbitos.

Meningite viral: 758 notificações; 11 óbitos.

2015

Meningite bacteriana: 24 notificações; sete óbitos.

Meningite viral: 289 notificações; quatro óbitos.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), exames realizados pelo Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen) confirmaram a meningite como causa das duas mortes. Apesar de informar que não foram diagnosticadas as bactérias especificas de cada caso, o órgão garantiu que não se trata da meningite meningocócica, a forma mais severa da doença.

A primeira vítima teve morte encefálica confirmada na noite de sexta-feira. De acordo com a médica do setor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, Rosângela Libanori, a criança não era moradora de Londrina e teria sido encaminhada ao HU após receber os primeiros cuidados no município de Jacarezinho, também na região Norte. A vítima teria passado mal durante uma viagem com a família. Não foi divulgado o local de residência da criança.

O que é meningite

Meningite é uma inflamação na membrana que envolve o cérebro e a medula espinhal e pode ser causada por bactérias e vírus. Os sintomas mais comuns são febre alta, dor de cabeça, vômito, náuseas, rigidez na nuca e manchas vermelhas na pele. A transmissão geralmente acontece pelo contato direto entre as pessoas e por meio de secreções respiratórias.

A imunização da vacina contra a meningite do tipo B é feita em duas doses, com um intervalo de dois meses entre cada aplicação, e pode ser feita em crianças a partir de dois meses de idade até adultos de 50 anos.

Já o paciente de 49 anos que estava internado na Santa Casa de Londrina teria chegado ao local no dia 14 de julho em estado gravíssimo, após ter ficado internado na Santa Casa de Cambé.

De acordo com o hospital cambeense, a vítima chegou ao local em 10 de julho. No dia seguinte, um médico infectologista da entidade teria realizado um exame preliminar no local. O liquor recolhido tinha aparência turva o que, segundo a administração do local, já indicava a meningite. Ele foi transferido para Londrina por causa da rápida evolução em seu quadro de saúde. Durante todo o atendimento, ele teria ficado isolado como é de praxe em casos de suspeitas ou confirmação da doença.

Saúde descarta surto em Londrina

Até a sexta-feira (17), a médica infectologista da Secretaria de Saúde de Londrina disse que o órgão havia recebido a notificação de 52 casos de meningites, sendo 33 casos bacterianos e 19 virais. As notificações também foram confirmadas pela chefe da 17ª Regional de Saúde, Terezinha Sanches.

Questionada, Rosangela Libanori descartou a possibilidade de um surto de meningite em Londrina. A negativa também foi dada pela assessoria da Sesa que disse considerar o número normal para o período e ressaltou a diminuição tanto no número de notificações quanto de óbitos.

Em 2015, até agora, foram notificados 313 casos de meningite (24 bacterianos e 289, virais). O número representa 38% dos casos registrados no ano passado, quando 817 notificações foram feitas.

O número de óbitos também é menor neste ano: 11 ante 22 em 2014.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]