A atriz Maureen Miranda: vivendo no Rio de Janeiro, não deixa de ir a Santa Felicidade quando volta a Curitiba. | /Divulgação
A atriz Maureen Miranda: vivendo no Rio de Janeiro, não deixa de ir a Santa Felicidade quando volta a Curitiba.| Foto: /Divulgação

Curitiba representa minha raiz. Eu fico com o coração apertado, dividido. É muito difícil viajar bastante, estar fora de onde é o teu berço, mas também é um exercício de aprendizado pra mim

Maureen Miranda Atriz

Prestes a estrear seu segundo papel em uma novela da Rede Globo, Maureen Miranda, 40 anos, ganhou fama nacional em 2015 ao viver a secretária Esther na novela “I Love Paraisópolis”. Filha de um promotor de Justiça e de uma artista plástica, a atriz nasceu em Pato Branco, no Sudoeste do Paraná, cresceu em Paranaguá, no Litoral, e, antes de completar 15 anos, já tinha residência fixa em Curitiba, onde iniciou sua formação artística e mergulhou nas artes em geral. Considera-se curitibana de coração e por adoção da cidade.

Novos horizontes

Com mais de duas décadas de carreira no teatro, Maureen destaca o aprendizado que teve com diretores com quem trabalhou em Curitiba, como Marcio Abreu, Mauricyo Voghe e Felipe Hirsch. “Foi uma cidade que me proporcionou todo o aprendizado, cultural e artístico. Mas chegou um momento que eu precisava alçar novos horizontes e, por necessidade, eu precisei sair, para ter outras experiências. Precisei sair pra me reinventar e poder retornar”, comenta a atriz.

O lado atriz, entretanto, é apenas uma de suas facetas. Maureen, que desenha desde pequena, é também artista plástica, figurinista, ilustradora de livros e de roupas. Já desenhou coleções para grifes como Cavalera, Colcci, Thaís Gusmão, Fórum e Triton.

Na tevê, seu próximo trabalho estreia em abril, quando estará no elenco da nova novela da Globo, “Os Dias Eram Assim”, que será exibida às 23 horas.

Quando Curitiba ainda era uma “terra estrangeira” para Maureen, ela se diverte ao recordar as excursões que a escola fazia com a garotada até o Shopping Mueller. “Tinha uma pista de patinação no gelo e a gente vinha patinar. Isso ficou muito marcado na minha cabeça. Era patinar e comer pão de batata no Shopping Mueller”, destaca. Outro “ponto turístico” que ela adorava nessa época era o Carrefour Pinhais, mas aí o evento envolvia a família toda, que subia a Serra do Mar para fazer compras e passear no shopping que ficava anexo ao hipermercado.

Naquela época, meados dos anos 80, Curitiba parecia – para a Maureen criança – a cidade grande, uma megalópole, um “lugar arriscado”. Atualmente, a estranheza deu lugar à saudade de quem teve que se fixar em outra cidade para trabalhar e assumiu a cidade como sua. “Curitiba representa minha raiz. Eu fico com o coração apertado, dividido. É muito difícil viajar bastante, estar fora de onde é o teu berço, mas também é um exercício de aprendizado pra mim”, analisa.

Casa e comida no roteiro

Maureen admite ser bastante caseira, gostar de curtir a família, a avó, que já tem 90 anos, e receber os amigos em casa. Mas quando está em Curitiba, vai sempre ao O Torto Bar, no São Francisco. “É o lugar onde eu saio à noite na cidade, onde vou comer um bolinho de carne, dar um oi pro Magrão (Arlindo “Magrão” Ventura, dono do bar)”.

No seu “roteiro turístico curitibano” não podem faltar ainda os restaurantes de Santa Felicidade “com todo aquele exagero de comida maravilhosa, digna de um evento”, diverte-se a atriz. E cita ainda o Botanique Café e Bar, local que conheceu recentemente e ficou apaixonada, e a livraria Arte e Letra, no Batel.

Especial Aniversário de Curitiba

Para comemorar os 324 anos de Curitiba, a Gazeta do Povo publica uma série especial com o perfil de curitibanos célebres que representam a nova cara da cidade. Até dia 29 de março, um novo personagem falará diariamente sobre sua relação com Curitiba.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]