i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Em 2016

Jovens polonesas querem retribuir hospitalidade na JMJ

Kararyna Lalicla e Justyna Ambrozy, ambas de 19 anos, saíram de Cracóvia, onde vivem, e vieram sozinhas para o Rio participar da Jornada Mundial da Juventude no Rio

  • PorAgência Estado
  • 28/07/2013 11:15

As estudantes polonesas Kararyna Lalicla e Justyna Ambrozy, ambas de 19 anos, saíram de Cracóvia, onde vivem, e vieram sozinhas para o Rio participar da Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Elas dormiram na paróquia do bairro Paciência e se inscreveram como voluntárias para ajudar na organização do evento. "Foi uma experiência maravilhosa. As pessoas do Rio foram muito amigáveis e queremos retribuir na próxima Jornada, também como voluntárias. Ficamos muito felizes em saber que a Cracóvia foi a escolhida", disse Justyna.

As duas jovens já haviam participado da JMJ em Madrid, mas consideraram que a do Rio foi melhor. "Os eventos culturais, como apresentação de bandas, orquestras, tudo isso estava melhor", contou Kataryna. Nem a língua para elas foi um problema. "Tínhamos um rádio que fazia a tradução simultânea para o polonês".

Perto das 13h35 deste domingo, praticamente todas as ruas da estação Cardeal Arcoverde do metrô estavam lotadas pelo público que ainda deixava a praia de Copacabana e tentava voltar para casa. Só na Avenida Barata Ribeiro, onde fica o principal acesso à estação, as filas chegavam a ocupar dez quarteirões.

Os jovens, no entanto, estavam animados e vários continuavam a cantar músicas religiosas. Alguns gritavam: "ah, vou para a Polônia!". "Não adianta se estressar. É muita gente mesmo, todo mundo sabia que seria demorado", explicou o estudante Caio Pereira, de 16 anos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.