Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
De rosto coberto, estudantes começam a cobrir as janelas da reitoria da UFPR durante invasão ao prédio | Antonio More/Gazeta do Povo
De rosto coberto, estudantes começam a cobrir as janelas da reitoria da UFPR durante invasão ao prédio| Foto: Antonio More/Gazeta do Povo

Um grupo de estudantes ocupou o prédio da reitoria da Universidade Federal do Paraná (UFPR) na tarde dessa segunda-feira (31). De acordo com o Comando de Greve Estudantil, à frente dos protestos realizados hoje na Avenida Marechal Deodoro e das negociações das pautas estudantis junto à pró-reitoria, cerca de 200 alunos entraram e ocuparam o prédio; a assessoria de comunicação da universidade alega que o grupo é de 50 estudantes. Um funcionário da segurança patrimonial ficou ferido durante a ocupação.

Segundo a UFPR, um funcionário terceirizado que faz a segurança patrimonial da universidade tentou impedir a entrada dos estudantes pela porta principal do prédio, mas sofreu uma luxação em um dos braços e um pequeno ferimento ao lado do olho esquerdo. Porém, o funcionário passa bem.

Confira fotos da invasão na Reitoria

No momento em que os alunos entraram no prédio da reitoria, uma reunião entre representantes da UFPR e estudantes ocorria na Praça Santos Andrade, de acordo com a universidade. Os alunos não permitiram a entrada da imprensa. Após a ocupação, servidores e professores que estavam no prédio deixaram o local. Logo após a ocupação, o clima na reitoria ficou tenso. Estudantes e pró-reitores discutiam sobre o movimento e sobre o avanço das negociações com o comando de greve estudantil.

Os estudantes permaneciam no local até as 23h20 desta segunda-feira.

Reivindicações

Segundo integrante do comando de greve estudantil, os alunos decidiram ocupar a reitoria porque as reivindicações da categoria não foram atendidas nem assumidas oficialmente pela administração da universidade.

“Nós já nos reunimos para negociação e conseguimos abrir diálogo e discutir as pautas estudantis, mas não tivemos nenhuma garantia de que o acordado seria cumprido e até agora os encontros com a reitoria não foram efetivos. Além disso, o reitor Zaki Akel não compareceu em nenhuma negociação. Apesar de três categorias estarem em greve, as reivindicações do movimento grevista não são prioridade do reitor”, disse.

Já o vice-reitor Rogério Mulinari declarou à imprensa que as negociações estão suspensas. “Já tivemos várias reuniões com os membros da mesa de negociação, formada por professores, técnico-administrativos e estudantes. Essa invasão é uma ruptura unilateral das negociações e um cerceamento a liberdade dos funcionários de trabalhar”, apontou. Apesar do segurança machucado, segundo o vice-reitor, nenhum outro servidor sofreu ferimentos.

Segundo a assessoria de comunicação da instituição, os ocupantes da reitoria cobriram os vidros do térreo do prédio e as câmeras internas de vigilância.

Estudantes protestaram na Marechal Deodoro

Antes da ocupação, um grupo de cerca de 150 estudantes da Universidade Federal do Paraná (UFPR) reuniu-se na Avenida Marechal Deodoro, no Centro de Curitiba, para protestar contra o corte de verbas federais que atinge fortemente a educação pública e reivindicar por pautas estudantis. De acordo com a Secretaria Municipal de Trânsito (Setran), os estudantes bloquearam o cruzamento na esquina da Marechal Deodoro com a João Negrão.

O protesto foi organizado pelo Comando de Greve Estudantil da UFPR, que no período da tarde se reuniu com representantes da Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional para discutir as pautas estudantis. Antes da caminhada pela Marechal Deodoro, os estudantes realizaram assembleia geral no campus da reitoria para deliberar sobre a primeira reunião de negociação com a reitoria, realizada no último dia 26.

De acordo com informações divulgadas na página do Comando de Greve Estudantil no Facebook, esse primeiro encontro com a administração da universidade representou avanços nas negociações sobre a não-suspensão das bolsas do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência; o congelamento do preço do Restaurante Universitário e a manutenção das bolsas-monitorias até o fim do semestre. Entretanto, o grupo reclama que apesar de o diálogo ter ocorrido, na prática as garantias ainda não foram implementadas.

A UFPR, por meio de sua assessoria de comunicação, informou que as negociações da pauta estudantil estão em andamento.

Greve estudantil

Estudantes da UFPR deflagraram uma greve estudantil no dia 19 de agosto. Entre as reivindicações dos alunos estão: alimentação adequada no Restaurante Universitário e congelamento do valor da refeição em R$ 1,30; repasse de vale-refeição para aqueles estudantes que dependem do RU Central e não podem se deslocar para os demais campus diariamente para fazer as refeições; manutenção das bolsas permanência e de monitoria, reajuste dos valores de acordo com a inflação e pagamento imediato das bolsas em atraso; auxílio médico e psicológico para estudantes; divulgação do orçamento do segundo semestre letivo de 2015 e discussão sobre os prejuízos sofridos pelo corte de verbas do governo federal.

  • Estudantes durante ocupação do prédio da reitoria da Universidade Federal do Paraná
  • Segundo o Comando de Greve Estudantil, cerca de 200 pessoas participaram da ação; assessoria da universidade aponta um número menor: 50
  • Estudantes durante ocupação do prédio da reitoria da Universidade Federal do Paraná
  • Alunos alegam ter invadido o prédio por conta de reivindicações não atendidas pela universidade
  • Estudantes durante ocupação do prédio da reitoria da Universidade Federal do Paraná
  • Estudantes durante ocupação do prédio da reitoria da Universidade Federal do Paraná
  • Invasores cobrem as janelas do prédio durante a invasão desta segunda-feira (31)
  • A imprensa não foi autorizada pelo grupo a entrar no prédio
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]