i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Santo Antônio de Posse

Estudantes passam mal depois de chupar balas no interior de SP

Ao todo, 17 alunos consumiram o doce e tiveram de ser internados. Laudo sobre as balas deverá sair na tarde desta quinta-feira (26)

  • PorG1/Globo.com
  • 26/03/2009 13:44

Dezessete alunos de uma escola municipal de Santo Antônio de Posse, a 138 km de São Paulo, passaram mal após chupar balas distribuídas por uma colega na tarde de quarta-feira (25). A polícia investiga o caso e aguarda para a tarde desta quinta-feira (26) o laudo do Instituto de Toxicologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

O laudo deve comprovar se as balas ingeridas foram responsáveis pelo problema. A suspeita da polícia é que as crianças tenham consumido balas que continham drogas.

Dois internados

Os doces foram levados para a escola por uma aluna. Os estudantes que passaram mal foram encaminhados para o Pronto-Socorro da cidade. Dois tiveram que permanecer internados. Um foi liberada ainda nesta quarta-feira e a outro deixou o hospital na manhã desta quinta.

Os pais também receberam um comunicado da escola explicando o que houve. Os estudantes começaram a passar mal depois do intervalo, meia hora depois de consumir a bala trazida.

De acordo com as testemunhas, a embalagem era escrita em alemão. A urina e o sangue dos estudantes, entre 11 e 15 anos, foram coletados e encaminhados para exame no Instituto de Toxicologia da Unicamp.

O delegado que investiga o caso encaminhou as balas para perícia técnica e conversou com um rapaz de 18 anos que teria entregue as balas para a estudante.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.