i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
teste

Exame do Cremesp reprova quase metade dos médicos formados em São Paulo

    • SÃO PAULO
    • Agência O Globo
    • 17/02/2016 15:15

    O exame do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), que avalia a qualidade da formação do médico recém-formado nas faculdades do estado de São Paulo, apontou que, dos 2.726 inscritos, 48% (1.312 candidatos) não alcançaram a nota mínima.

    Isso significa que quase metade dos médicos formados no estado acertaram menos de 60% da prova - índice mínimo para a aprovação. A reprovação na prova, cuja participação é facultativa, não impede, no entanto, que o profissional obtenha o registro para exercer a Medicina.

    A área de clínica médica foi a maior dificuldade dos médicos nas provas. A média de acertos ficou em 50,9%.

    “A clínica médica é a base de quem quer continuar se aperfeiçoando na profissão. Os resultados são preocupantes”, disse Bráulio Luna Filho, coordenador do Exame e presidente do Cremesp.

    Metade das 120 questões que compunham a prova foram consideradas fáceis. Mesmo assim, os participantes erram questões consideradas básicas para o exercício da profissão. De acordo com a avaliação, muitos dos recém-formados, por exemplo, desconhecem o diagnóstico para o tratamento inicial de infarto (63%) ou não acertaram as principais características no caso de transtorno bipolar (72%).

    Das 30 escolas de Medicina paulistas cujos alunos participaram do exame, apenas 15 tiveram média superior a 60%. Nesta lista, figuram nove instituições públicas e seis particulares. Entre os médicos oriundos de universidades particulares, a reprovação é ainda maior: 58%. Já nas escolas públicas paulistas, a média de reprovação foi de 26,4%.

    Para Luna Filho, o despreparo dos médicos recém-formados explicaria o aumento das denúncias de erro médico que chegam ao Conselho. Em 15 anos, os processos ético-profissionais aumentaram em 320%. Atualmente, o Conselho recebe, em média, 17 denúncias de erro médico por dia. O presidente do Cremesp defende a criação de um exame obrigatório para a obtenção do registro.

    “Se é obrigatório para um advogado, um contador, fazer um exame para poder exercer a profissão, o mesmo deveria acontecer para um médico”, diz.

    De acordo com o Cremesp, houve uma ligeira melhora no indíce de aprovação dos recém-formados em relação aos anos anteriores, mas a média ainda preocupa o órgão. Em 2014, 55% do total de inscritos foi reprovado; já em 2013 foram 59,2%.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.