i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
CURITIBA

Faixa exclusiva reduziu em 45% o tempo médio dentro do ônibus na Rua XV

Redução foi medida em 11 das 13 linhas dentro do trecho da Rua XV; Até o momento foram inaugurados 4 Km de faixas exclusivas. A intenção é chegar a 20 Km até o final de 2016

  • PorRaphael Marchiori
  • 01/09/2015 22:00
Projeto da faixa exclusiva da Rua XV contrariou comerciantes, mas é aprovado por passageiros do ônibus | Daniel Castellano/Gazeta do Povo
Projeto da faixa exclusiva da Rua XV contrariou comerciantes, mas é aprovado por passageiros do ônibus| Foto: Daniel Castellano/Gazeta do Povo

A faixa exclusiva da Rua XV de Novembro, em Curitiba, gerou redução média de 45% no tempo dentro do ônibus entre a Avenida Nossa Senhora da Luz e a Praça Santos Andrade. A linha Pinhais/Guadalupe, por exemplo, ficou seis minutos mais rápida nesse trecho. Já a Detran/Vicente Machado ganhou cinco minutos.

EXPANSÃO

Os estudos iniciais da prefeitura indicam a criação de mais 16 quilômetros de faixas exclusivas para ônibus até 2016. As próximas etapas do projeto serão a ampliação da faixa exclusiva da Westphalen até a Avenida Presidente Kennedy e a criação da faixa exclusiva da Alferes Poli até a Rua Brasílio Itiberê.

As conclusões são de um estudo feito pela Urbs a pedido da Gazeta do Povo. O projeto completou um ano em junho. Nas outras duas novas faixas exclusivas de ônibus da cidade, instaladas há quatro meses nas ruas Marechal Deodoro e Desembargador Westphalen, a redução média foi de 24%. O projeto inicial da gestão Gustavo Fruet (PDT) é criar 20 quilômetros de faixas exclusivas para ônibus da cidade até 2016. Os três projetos inaugurados somam quatro quilômetros.

Infográfico: veja o ganho de velocidade nas vias onde há faixas exclusivas para ônibus.

Mais de 140 mil passageiros trafegam pelas três faixas diariamente em 41 linhas de transporte coletivo. Os dados disponibilizados pela Urbs se referem à metade dessas linhas. Mas a amostragem engloba 85% das que trafegam na Rua XV de Novembro – via que detém a faixa mais extensa e que foi a pioneira dessa ação na cidade.

Para chegar às conclusões do estudo, a empresa ligada à prefeitura realizou medições antes e depois da implantação das faixas – em alguns casos até três vezes. Nos últimos 15 anos, segundo a Urbs, o transporte coletivo de Curitiba perdeu 30% da velocidade média nos grandes eixos e no anel central.

Mas, assim como em São Paulo, o caminho para ônibus nessas faixas não ficou totalmente desimpedido. Houve contrariedade de comerciantes locais. Eles alegam que o planejamento foi mal feito e sem discussão com a sociedade.

Pressionada, prefeitura começa obras de estacionamentos

Alguns comerciantes chegaram a pagar pelos remansos, mas agora a abertura de parada para os automóveis está sendo custeada com recursos públicos

Leia a matéria completa

Antes da pista exclusiva para ônibus, havia três faixas de rolamento e vagas de estacionamento. Agora, são duas destinadas aos automóveis particulares e uma apenas para o transporte público.

A principal crítica é pela remoção das vagas de estacionamento. “Não sou contra a prioridade ao ônibus. Mas tudo precisa ser discutido antes. Agora é que estão fazendo os remansos para estacionamento, após muita pressão. Fico me perguntando sobre o porquê de não terem feito antes”, disse José Mainheriche, 57, dono da Papelaria e Revistaria Alto da XV.

Segundo os empresários, o comércio local teve uma queda de 40 a 50% no movimento. Eles alegam que muitos não tiveram condições de pagar o aluguel e desistiram dos pontos. Adriane Moreira instalou sua primeira loja na Rua XV de Novembro há um ano e, assim como em todo o país, enfrenta dificuldades.

Mas a empresária alega que a faixa exclusiva de ônibus é mais um ingrediente nesse momento difícil. “Minha negociação com o proprietário já estava fechada. Não tinha como voltar atrás. Logo fiquei assustada com o baixo movimento e os comércios vizinhos me contaram que o movimento havia caído muito depois da faixa. E neste ano veio a crise.”

Alheios às críticas, passageiros garantem que a faixa exclusiva da Rua XV de Novembro cumpriu o seu objetivo. E querem mais. “Meu trajeto agora demora 15 minutos, metade do que era antes. O transporte público passou a ser muito vantajoso. Só falta fazer na Rua Marechal [Deodoro] inteira”, cobra Silmara Monteiro. Ela mora no Bairro Alto e utiliza a linha Tarumã para ir ao trabalho, no Centro.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    Fim dos comentários.