i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Engano

Famílias velam corpos trocados em Cascavel

Colegas de trabalho morreram em um acidente de trânsito. Após a informação de que corpos estavam trocados, velórios tiveram que ser interrompidos para que a confusão fosse desfeita

  • PorNeo Gonçalves, especial para a Gazeta do Povo
  • 20/09/2012 13:32

Duas famílias de Cascavel, no Oeste do Paraná, descobriram nesta quinta-feira (20) que os corpos de familiares mortos estavam trocados e os velórios tiveram que ser interrompidos para que a confusão fosse desfeita. Sérgio dos Santos Padilha e Vilmar Zambiazi morreram vítimas de acidente de trânsito na quarta-feira (19), na BR-163, em Lindoeste. Os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML), onde passaram por reconhecimento e foram liberados para o funeral.

Logo que o velório de Vilmar começou, houve a desconfiança. "Reclamamos com o pessoal da Acesc [Administração dos Cemitérios e Serviços Funerários de Cascavel] e disseram que [o corpo] estava diferente por causa da maquiagem. A mulher do Vilmar achou uma aliança no dedo dele, sendo que ele não usa aliança. Ela pensou que tinham colocado errado e mandou devolver. Pela manhã, chegou a família do Sérgio falando que os corpos estavam trocados", contou o tio de Vilmar Luiz Carlos Zambiazi.

Marcos Vinícius Padilha, irmão da outra vítima, comenta que não foi possível notar o problema inicialmente porque o caixão estava lacrado. Depois disso, passaram a suspeitar que podia ter acontecido a troca. "Chegamos ao outro velório e reconhecemos o Sérgio. Houve erro da Acesc e vamos pedir a responsabilização deles", conta.

A assessoria de imprensa do órgão informou que a Acesc fez o translado dos corpos já identificados, previamente, no IML, não havendo possibilidade de ter ocorrido troca no transporte. O diretor do IML, Juari de Carvalho, acredita que as famílias que falharam no momento do reconhecimento.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.