Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente da República e novo imortal da ABL | Paulo Whitaker/ Reuters
Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente da República e novo imortal da ABL| Foto: Paulo Whitaker/ Reuters

"(...) passados tantos anos da presidência e mantida, se não mesmo que ampliada, a convicção vários membros da ABL de que eu deveria juntar-me a eles, acabei por concordar."

Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente da República e novo imortal da ABL.

Confirmando seu favoritismo, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, 82 anos, foi eleito na tarde de ontem para ocupar a cadeira n.º 36 da Academia Brasileira de Letras (ABL), sucedendo ao jornalista João de Scantimburgo (1915-2013), morto em março desse ano. A eleição aconteceu na sede da ABL, no centro do Rio. de Janeiro. FHC teve 34 dos 39 votos possíveis, com uma abstenção.

"Essa eleição é um ato de respeito da Academia Brasileira de Letras à inteligência brasileira. A grande obra de Fernando Henrique Cardoso de sociólogo e cientista dá ainda mais corpo à Academia", disse o imortal Marcos Villaça, ex-presidente da ABL, em comunicado oficial.

Terceiro presidente a integrar a Casa de Machado – após Getúlio Vargas (eleito em 1941) e José Sarney (eleito em 1980)– o novo imortal se juntará a dois membros graduados de seu governo, o vice-presidente Marco Maciel, 72 (eleito em 2004), e o ex-Ministro das Relações Exteriores Celso Lafer, 71, eleito em 2006.

Fernando Henrique derrotou outros dez candidatos à cadeira 36: J.R. Guedes de Oliveira, Gildasio Santos Bezerra, Jeff Thomas, Car­­los Magno de Melo, Eloi Angelo Ghio, Diego Mendes Souza, Felisbelo da Silva, Alvaro Corrêa de Oliveira, José William Vavruk e Ar­­lindo Vicentine.

Após sua vitória, o ex-presidente recebeu convidados para uma comemoração na Fundação Eva Klabin, no Rio de Janeiro.

Biografia

Intelectual com atuação política, FHC teve seus direitos políticos cassados em 1964 pelo regime militar e exilou-se na Europa e no Chile. De volta ao Brasil, participou da luta pela redemocratização do país, ingressou no então MDB e foi eleito senador por São Paulo. Nos anos 80, foi um dos fundadores do PSDB, do qual é presidente de honra. Antes de ser eleito presidente, foi ministro das Relações Exteriores e da Fazenda no governo Itamar Franco (1992-1994).

O novo imortal é autor ou coautor de 34 livros, 23 deles de sociologia, e mais de cem artigos acadêmicos.

Os livros mais recentes de Fernando Henrique Cardoso são voltados à análise de sua atuação como político e as memórias: O presidente e o sociólogo (1998); A arte da política (2006); The accidental presidente of Brazil (2006); Cartas a um jovem político (2008) e A soma e o resto: um olhar sobre a vida aos 80 anos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]