i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Violência

Fiscalização em Foz mudou rota do crime

  • PorDa Redação, com informações de Denise Paro, da sucursal de Foz do Iguaçu
  • 22/09/2008 21:16

Desde 2006, quando a Receita Federal e a Polícia Federal (PF) reforçaram a fiscalização em Foz do Iguaçu, as cidades às margens do Lago de Itaipu entraram na rota do crime organizado. Guaíra, na divisa com Mundo Novo (MS) e fronteira com a cidade paraguaia de Salto del Guairá, é considerada hoje o ponto mais vulnerável da fronteira paranaense.

Invadida por organizações criminosas de vários estados brasileiros, a cidade ocupa a 7ª posição no Mapa da Violência dos Municípios Brasileiros de 2008, com 94,7 assassinatos para cada grupo de 100 mil habitantes (dados de 2002 a 2006). Para efeito de comparação, Foz ficou em 5º lugar no mesmo ranking, com 98,7 homicídios para cada 100 mil habitantes.

O Primeiro Comando da Capital (PCC) montou uma base no lado paraguaio para enviar maconha e cocaína ao Brasil. Em março, a polícia paraguaia prendeu em Salto del Guairá um homem apontado como tesoureiro do PCC no Paraná: Walter Tomás Inácio, de 26 anos, o "Pagodeiro".

Depois da implantação da nova aduana na Ponte da Amizade, que liga Foz do Iguaçu a Ciudad del Este, no Paraguai, o movimento de veículos quintuplicou na Ponte Ayrton Senna, entre Guaíra e Mundo Novo. A cidade sul-mato-grossense tem fronteira seca com Salto del Guairá. Segundo a Polícia Federal, antes do reforço da fiscalização em Foz, cerca de 2 mil veículos por fim de semana cruzavam a fronteira na região de Guaíra. Com a mudança, o movimento subiu para 10 mil carros a cada fim de semana.

A PF tem dificuldades para competir com o crime organizado por falta de efetivo. Cabe aos agentes fiscalizarem uma extensão de quase 200 quilômetros do Lago de Itaipu, onde sobram picadas no mato e portos clandestinos para a remessa de mercadorias, cigarros ou drogas, além de 41 municípios em toda a região.

O procurador da República Robson Martins, do Ministério Público Federal, sustenta que a PF não tem estrutura e agentes para patrulhar toda a região, por isso ingressou com duas ações contra a União, uma delas pedindo para dobrar o número de fiscais da Receita em Guaíra, onde há cinco auditores, e em Mundo Novo, que conta com nove.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.