Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Nova greve no Hospital de Clínicas  será deflagrada nesta segunda | Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
Nova greve no Hospital de Clínicas será deflagrada nesta segunda| Foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

Os trabalhadores do Hospital de Clínicas contratados junto à Fundação da Universidade Federal do Paraná (Funpar) irão entrar em greve nesta segunda-feira (06). A paralisação foi aprovada em assembleia realizada na última quinta-feira (02). A categoria cobra reposição salarial. A data-base dos funcionários da Funpar foi no dia 1.º de maio.

Conforme o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Terceiro Grau Público do Paraná (Sinditest-PR), 851 dos 3.132 trabalhadores que atuam no hospital são contratados pela Funpar e atuam em todos os setores da instituição. Segundo o sindicato, a Funpar ofereceu reajuste salarial de 5,2% – abaixo do índice da inflação que chega perto de 9%. O Sinditest chegou a enviar uma primeira proposta de acordo coletivo para a comissão de negociação patronal reivindicando um reajuste de 20,16%.

Com a greve, o atendimento no maior hospital público do Paraná deve ser prejudicado em vários setores, como agendamento de consultas, ambulatório, radiologia, realização de exames e internação.

Em maio, a categoria já havia iniciado uma greve por dois motivos. Além da reposição salarial , estava em jogo uma disputa judicial de qual sindicato representa a categoria. Isso porque o Tribunal Superior do Trabalho (TST) decidiu que “os funcionários do Complexo Hospital de Clínicas/Funpar devem ser representados pelo Sindicato dos Empregados em Entidades Culturais, Recreativa, de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional no Paraná (Senalba)”.

No entanto, um acordo,intermediado pelo Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR), determinou que o Sinditest passasse a ser reconhecido efetivamente como representante dos servidores do HC contratados via Funpar, pelo menos até que o Supremo Tribunal Federal (STF) julgue uma ação que tramita na corte sobre a matéria.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]