Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Neste frame do vídeo divulgado pela agência de notícias chinesa Xinhua News é possível ver dois carros passando por baixo do ônibus. | Reprodução/Vídeo/Xinhua News
Neste frame do vídeo divulgado pela agência de notícias chinesa Xinhua News é possível ver dois carros passando por baixo do ônibus.| Foto: Reprodução/Vídeo/Xinhua News

A ideia circula desde 2010, pelo menos. Foi reapresentada em maio neste ano, em escala de miniatura, por uma empresa de tecnologia na 19.ª Exposição Internacional de Alta Tecnologia de Pequim, mas muitos duvidavam de sua viabilidade. Mas, aparentemente, o protótipo do ônibus que “anda sobre os carros” finalmente saiu do papel.

Veja um vídeo da agência China Xinhua News sobre o protótipo

Chamado de Ônibus de Passagem Elevado (TEB, na sigla em inglês), ele circula sobre trilhos e conta com um vão que lhe permite transpor um congestionamento em segurança. O protótipo apresentado teria capacidade para levar 300 passageiros. Se considerada a ideia inicial, de unir quatro unidades deste tipo, seriam então 1,2 mil passageiros no total.

Leia mais notícias de Futuro das Cidades

Conforme noticiou a agência de notícias Xinhua, o TEB foi testado nesta terça-feira (2) na cidade de Qinhuangdao, no norte da China. O protótipo teria mais de 58 metros de comprimento, entre 4,8 metros de altura e 7,8 metros de largura. O espaço pelo qual os veículos passam teria entre 2,1 e 2,2 metros.

Segundo o vídeo divulgado pela Xinhua, o TEB funciona de forma semelhante a um metrô, com plataformas elevadas de embarque. Em teoria, já que funciona com eletricidade, parte dela gerada por energia solar, o TEB poderia gerar menos poluição sonora e atmosférica que sistemas como o BRT (Bus Rapid Transit), em operação em Curitiba e outras cidades mundo afora. Os testes ajudarão os engenheiros da empresa que leva o mesmo nome que o produto a verificarem se, realmente, a ideia se justifica e funciona no dia a dia de uma cidade.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]