i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
No Rio Grande do Sul

Gravação em que madrasta ameaça Bernardo será usada como prova

No vídeo, Graciele Ugulini diz que vai matar o menino. O garoto aparece "grogue" após tomar um medicamento. A data da gravação não foi informada

  • PorFolhapress
  • 26/08/2014 16:10

A delegada Caroline Bamberg Machado, responsável pela investigação do caso Bernardo Boldrini, assassinado aos 11 anos de idade, depôs durante toda a manhã e o início da tarde desta terça-feira (26) e afirmou, ao sair da audiência, que um vídeo gravado dentro da casa do menino será usado como prova no processo. O caso ocorreu em abril deste ano, no Rio Grande do Sul.

Segundo ela, na gravação a madrasta ameaça matar Bernardo, e o garoto aparece "grogue" após tomar um medicamento. A data da gravação não foi informada.

O pai do garoto, Leandro Boldrini, a mulher dele, Graciele Ugulini, e os irmãos Edelvânia Wirganovicz e Evandro Wirganovicz foram denunciados pelo Ministério Público sob acusação de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver e falsidade ideológica.

Leandro nega participação no crime, e Graciele diz que a morte foi acidental, causada por um erro na dosagem de um calmante que deu ao enteado.

Já Edelvânia afirma que ajudou Graciele a ocultar o corpo do garoto após sofrer "pressão psicológica", e Evandro Wirganovicz, acusado de ter cavado a cova em que o corpo de Bernardo foi enterrado, nega participação no crime.

A delegada disse ainda aos jornalistas que o vídeo mostra Leandro se "omitindo totalmente" enquanto Graciele "agride verbalmente" o garoto.

"É um vídeo que demonstra como o Bernardo era tratado dentro de casa, o que já vinha [sendo dito] com os depoimentos das testemunhas. Era de forma bem imprópria. Não há ameaça do Leandro em si", disse ao sair da audiência nesta tarde.

O corpo de Bernardo Boldrini foi encontrado no dia 14 de abril dentro de um saco plástico em um matagal em Frederico Westphalen (a 364 km de Porto Alegre), cidade vizinha a Três Passos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.