Foto postada pela deputada federal Samia Bomfim (PSOL-SP), ao comemorar estar grávida de um bebê de 13 semanas.
Foto postada pela deputada federal Samia Bomfim (PSOL-SP), ao comemorar estar grávida de um bebê de 13 semanas.| Foto: Twitter / Reprodução

A deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP), após comemorar estar grávida de um "bebê de 13 semanas" no último domingo (27), foi novamente às redes sociais para festejar a votação no Senado da Argentina que aprovou a legalização do aborto até a 14ª semana de gestação.

"Explosão de alegria na Argentina! Depois de uma longa sessão, o Senado aprovou a legalização do aborto no país. Uma conquista histórica do movimento feminista. Que a maré verde se espalhe por toda a América Latina!", disse ela no Twitter.

Antes, ao ser questionada pelo colunista da Gazeta do Povo, Flavio Gordon, por usar a palavra "bebê de 13 semanas", ou seja, admitir que é uma vida humana, ela respondeu que luta pelo "direito" de que todas possam escolher. Em tréplica, Gordon questiona se quando ela escolhe o feto se torna bebê e quando não escolhe ele deixa de ser humano. Não há contestação por parte da deputada.

O PSOL é autor de ação no Supremo Tribunal Federal que tenta legalizar o aborto até a 12ª semana de gestação, por meio da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 442. A tentativa é vista por vários juristas como um "aborto jurídico" já que o partido, ao invés de tentar mudar a Constituição e o Código Civil (que defende a vida desde a concepção) por vias democráticas, pelo Congresso Nacional, recorre ao Poder Judiciário - que não tem a função de elaborar leis - em uma esperança de ter seu desejo atendido por meio de ativismo judicial.

6 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]