i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Meio ambiente

Ibama multa importadoras em R$ 233 mil por lixo inglês

  • PorAgência Estado
  • 20/07/2009 17:54

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama) aplicou nesta segunda-feira (20) multa de R$ 233 mil para a importadora Bes Assessoria e Comércio Exterior e a multinacional Mediterranean Shipping Company (MSC) em punição pelo desembarque de 25 contêineres com 680 toneladas de lixo inglês encontrados no Porto de Santos na semana passada. Na sexta-feira, a empresa Alfatech recorreu à multa de R$ 408 mil que recebeu do Ibama por causa dos 48 contêineres com lixo descobertos no Rio Grande do Sul no final de junho

Contratada para defender tanto a Bes quanto a Alfatech, ambas empresas de Bento Gonçalves (RS), a advogada Silvana Giacomini Werner não acredita que a Alfatech seja penalizada com a multa e alega que empresa foi prejudicada de inúmeras formas. "Ela não importou nenhum produto proibido, importou e pagou por uma mercadoria (plástico para reciclagem) que não recebeu, no lugar veio lixo", argumentou.

A respeito da Bes, a advogada afirma que a empresa ainda não foi notificada sobre o lixo encontrado em Santos, mas assegura que a empresa nunca importou lixo. "Eles importaram aparas de plástico para reciclagem. Adquiriram o produto para uma empresa de Goiânia", disse Silvana, defendendo a possibilidade de o governo britânico custear o transporte do lixo de volta à Inglaterra. "Isso está sendo conversado entre as empresas, a Receita Federal e o Ibama, mas agora a prioridade é devolver essa mercadoria efetivamente.

No entanto, ainda não há um prazo definido para a devolução. De acordo com a assessoria de imprensa do Itamaraty, nem o governo britânico ou o Secretariado da Convenção de Basileia procuraram o País oficialmente para tratar do assunto. Brasil e Reino Unido são signatários da convenção que em 1993 proibiu o transporte internacional de lixo. Para tomar as providências diplomáticas, o Itamaraty aguarda que o Ibama conclua um laudo sobre os 89 contêineres com o lixo inglês que permanecem no País, 41 no Porto de Santos, 40 no Porto de Rio Grande e oito na estação aduaneira de Caxias do Sul.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.