i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Umuarama

IML fecha as portas; políticos pressionam e instituto é reaberto

  • PorOsmar Nunes, correspondente
  • 12/02/2010 14:39

A indefinição sobre o funcionamento do Instituto Médico Legal(IML) de Umuarama levou os políticos da cidade a uma mobilização nesta sexta-feira (12) em Curitiba. Ao amanhecer, o instituto estava com as portas fechadas porque o único funcionário está de férias e de licença médica e não havia conseguido convencer a direção do IML a designar um substituto. A ordem era levar os corpos para Campo Mourão, distante 150 quilômetros de Umuarama. Temendo desgastes políticos com a notícia, os deputados estadual Fernando Scanavaca (PDT) e federal Osmar Serraglio entraram em cena para evitar o fechamento. À tarde, Scanavaca informou que conseguiu sensibilizar a Secretaria de Segurança para contratar um auxiliar, o que evita o fechamento do instituto. No entanto, o corpo de Iolanda Gonçalves do Carmo, 54 anos, chegou a ser levado para necropsia no IML de Campo Mourão. Ela morreu na quinta-feira (11) à tarde em uma praça da cidade vítima de ataque cardíaco. O filho dela, Paulo Gonçalves do Carmo passou a sexta-feira tentando conseguir a liberação do corpo para o velório. Primeiro ficou sabendo que teria de ir a Campo Mourão e gastar R$ 400,00 com a viagem. Mas no meio da tarde a Secretaria de Segurança concordou em contratar um auxiliar para o IML que voltou a funcionar. O corpo de Iolanda Carmo nem foi retirado do carro em Campo Mourão e voltou no fim da tarde para Umuarama, onde seria liberado à noite para a família.

Cerca de 30 corpos passam todos os meses pelo IML de Umuarama. Apenas um servidor e um médico legista fazem os exames cadavéricos. No último fim de semana eles atenderam a 12 corpos e o auxiliar José Roberto de Avis teve de trabalhar noite e dia, mesmo estando de férias e atestado médico.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.