i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Denúncia

Jovem compartilha anúncio de “venda” de negro na internet

  • PorMaria Gizele da Silva, da sucursal
  • 21/03/2013 21:08

A Polícia Civil de Irati, no Centro-Sul do estado, abriu inquérito para apurar uma denúncia de injúria com conotação racista. O estudante Luiz Henrique Jacomel, 19 anos, compartilhou no Facebook um link do site MercadoLivre que faz referência à "venda" de um negro. O colega dele, João Victor dos Reis Neto, 18 anos, negro, sentiu-se ofendido. João registrou boletim de ocorrência e diz que, se for indenizado, vai doar o dinheiro para alguma entidade assistencial.

A primeira publicação foi feita no perfil de Neto no Ask, uma rede social, no último dia 10. "Pensei que era brincadeira", afirmou. Mas depois que o estudante viu a publicação no Facebook, com comentários sobre a "promoção do dia", decidiu denunciar o colega. "Não queria deixar passar em branco, eu fiquei revoltado e resolvei denunciar para que isso não fosse repetido", confirmou Neto. O anúncio teve cinco mil "curtidas" no Facebook e a foto que o acompanha não é do jovem.

Jacomel foi à casa do colega e pediu desculpas. O caso foi registrado como injúria, mas o advogado de Neto, Saulo Henrique Boff, espera que o Ministério Público classifique a situação como racismo. Nesse caso, a pena pode chegar a cinco anos.

O acusado não falou com a reportagem, mas o advogado dele, Nelson Anciutti Bronislawski, considerou que o cliente não se referiu a "fulano e sicrano" quando compartilhou o link. "Vamos entrar com uma ação judicial pedindo que o MercadoLivre identifique quem postou o link no site", adiantou.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    Fim dos comentários.