Estudantes fazem um protesto contra a homofobia em frente à Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo, na tarde desta quarta-feira (24). De acordo com os alunos, a manifestação é contra nota divulgada no site da universidade no início do mês que se posicionava contra a Lei da Homofobia. O texto foi retirado do site.

"Ficamos decepcionados com o texto, porque há muitos homossexuais na faculdade. Praticar homofobia não é liberdade de expressão. Nós respeitamos a religião, mas queremos ter o direito de poder casar e ter filhos", diz Paula Archilha, 19 anos, aluna do primeiro ano de publicidade do Mackenzie.

"Não cerceamos a liberdade de expressão, mas nos sentimos ofendidos com o texto publicado pelo chanceler. Esse é um ato de resposta. Lutamos por liberdade", afirma Leonardo Nones, 18 anos, aluno de arquitetura do Mackenzie, um dos organizadores.

"Viemos aqui não por sermos gays, mas porque somos cidadãos e estamos indignados", diz Carolina Latini, 20 anos, aluna da PUC-SP.

Em nota desta quarta-feira (24), o Mackenzie afirma que "respeita o direito de expressão de todos os cidadãos e reconhece o direito de manifestação pacífica."

O texto afirma ainda que, "como uma das instituições de ensino mais conceituadas do país, a Universidade Presbiteriana Mackenzie, que possui cerca de 40 mil alunos e 3 mil funcionários, sempre prezou pelo respeito à diversidade e pelo direito de liberdade de consciência e de expressão religiosa."

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]